[ x ] Fechar

Fontes renováveis são responsáveis por 83% da energia brasileira

  • 24 de novembro de 2012
  • Nenhum Comentário

Fontes renováveis são responsáveis por 83% da energia brasileiraDe acordo com balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), divulgado no mês de novembro pelo governo federal, 83% (3.525 MW) da energia agregada têm como origem fontes limpas e renováveis. A perspectiva é de que outros 28.022 MW sejam agregados ao sistema a partir da conclusão de obras que já estão em andamento.

Parte desta energia produzida vem da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, Rondônia. Ela possui seis turbinas em funcionamento, gerando 417 MW, e 19 usinas eólicas (UEE), que agregam outros 475 MW ao sistema. Há, ainda, 23 usinas termelétricas gerando 1.711 MW.

O que são energias sustentáveis?

Fontes renováveis são responsáveis por 83% da energia brasileiraSão aquelas geradas e fornecidas na natureza e que causam menos impacto no meio ambiente. Além disso, o índice de geração de CO2 (dióxido de carbono) ou outros gases ligados ao efeito estufa praticamente nulo. Entre os tipos obtidos no Brasil está a energia eólica, solar, hidroeletricidade (gerada em usinas hidrelétricas), marés (correntes marítimas), biomassa (matéria orgânica), entre outras.

Novas instalações

Com as 11 hidrelétricas cujas obras estão em andamento, o sistema poderá gerar 18.702 MW a mais de energia. Estão sendo construídas também 28 termelétricas, que vão gerar 6.868 MW, e 87 eólicas com capacidade para gerar 2.291 MW.

Atualmente há 23 linhas de transmissão, usadas para conduzir energia, sendo instaladas, com uma extensão de 10.657 quilômetros. Desde o início do programa, 13 subestações de energias e 17 linhas foram concluídas, totalizando 3.308 quilômetros para a transmissão da energia gerada.

Sobre o PAC 2

Desde o início do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 em 2010, o Brasil aumentou em 4.244 megawats (MW) sua capacidade geradora, com a entrada em operação de 52 empreendimentos. O valor dos recursos chega a R$ 1,59 trilhão investidos em seis áreas: energia, saúde, cultura, área social, habitação, transportes e meio ambiente.

Fonte: Revista Exame


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *