Atualizado em 07/08/2019 por Gabriela Giacomini
Redação do Portal WebArCondicionado

Manômetro para vácuo

O vácuo é um processo importantíssimo da instalação do ar-condicionado. Existem instaladores que preferem pular essa etapa, mas o consumidor deve exigir que ela seja feita.

Esse procedimento retira a umidade e evita o transporte de detritos pela tubulação de gás do aparelho, e é um procedimento previsto na vida útil do ar-condicionado. Para construir esse guia prático, contamos com a consultoria do engenheiro de alimentos (UNICAMP) e pós-graduado em Refrigeração e Ar-Condicionado (FEI) Roger Kenny Miyamoto Kayano, membro do comitê técnico da ASHRAE.

O que é necessário para fazer o vácuo?

Para fazer o vácuo no sistema do ar-condicionado é preciso um vacuômetro digital (não analógico), uma válvula esfera e uma bomba de vácuo – alguns instaladores ainda utilizam o manômetro, também conhecido como manifold. Este último tem três saídas para tubos, um de alta pressão, outro de baixa pressão e um terceiro de serviço, que fica no meio.

Nas laterais do manifold também existem duas válvulas, uma para cada saída de pressão (alta e baixa). Nem todo instalador usa essa peça, e alguns até dizem que ela torna o processo mais instável. Ela é necessária nos aparelhos que têm saídas de baixa e alta pressão.

Identificando e encaixando os componentes

Primeiro, é preciso atentar ao número de saídas de tubulação do ar-condicionado. Existem equipamentos com uma saída e outros com duas saídas.

Duas saídas

Nos equipamentos em que existe duas, uma das saídas é de baixa e a outra é de alta pressão – respectivamente, a saída de bitola grande e a de bitola pequena. As válvulas dessas saídas devem ser fechadas antes do procedimento. Nesse caso, o manômetro é necessário, então o tubo de alta pressão saindo o manifold deve ser conectado à saída de alta pressão no aparelho, e a da baixa pressão na saída de baixa pressão.

O tubo de serviço deve ser conectado ao vacuômetro, que vai fazer a medição em mícrons (unidade de medida igual a milionésimo de um milimetro de mercúrio). O vacuômetro, por sua vez, tem outra saída que deve ser conectada à bomba de vácuo, com a intermediação da válvula esfera entre os dois.

Uma saída

No caso de haver uma única saída de tubulação, o tubo de serviço é ligado diretamente ao vacuômetro, este à válvula e esta à bomba de vácuo. Conforme ilustrado abaixo:

Como fazer e medir o vácuo

No caso de duas saídas: a bomba deve ser ligada e as válvulas nas laterais do manômetro devem ser abertas. Nesse momento vai estar ocorrendo a chamada desidratação do sistema interno do gás do ar-condicionado, que é o processo que vai criar o vácuo. Cada marca tem um número de mícrons aceitável para o bom funcionamento da máquina – consulte o manual do aparelho para saber. O máximo aconselhado, em geral, é de 250 mícrons – por isso o vacuômetro tem que ser digital, pois o analógico não mede escalas tão pequenas.

A válvula esfera, entre o vacuômetro e a bomba de vácuo, deve ser fechada nesse momento. Se a quantidade de mícrons não cair, o sistema do gás está estancado.

No caso de uma saída, o procedimento é parecido, só que ao invés do manifold para administras as duas saídas, você terá o tubo ligado diretamente à saída do aparelho. Uma vez feito e medido o vácuo, mantendo a válvula esfera fechada, desconecte o tubo do aparelho.

Se, durante essa parada, a quantidade de mícrons começar a cair, é porque ou há um vazamento no sistema de gás do ar-condicionado, ou excesso de umidade no sistema do mesmo. Para ter certeza, é preciso fazer um teste de estanqueidade– cada marca também possuí um tempo determinado, que vão de um minuto e até 24 horas, cheque o manual.

Importante

Só um técnico instalador qualificado pode deixar o equipamento operante. Não é necessário retirar o óleo do sistema para fazer o vácuo, mas ele dificulta o processo. Além disso, especialmente o vácuo deve ser feito com muito cuidado, por isso, se você não tem experiência na área, não é aconselhado que tente fazer por conta.