Quando se coloca o ar-condicionado no modo aquecimento, existem pessoas que ficam com medo de o calor queimar o oxigênio no ambiente, sufocando as pessoas dentro dele. Calma, não é bem assim que as coisas funcionam. Hoje vamos desvendar se isso se trata de um mito ou de um fato – confira alguns mitos que a gente já explicou aqui.

Porém, antes de qualquer coisa, vamos descobrir de onde saiu essa história?

Estufas queimam oxigênio

Essa onda de boatos de que o ar-condicionado no modo quente queima o oxigênio do cômodo, provavelmente saiu das experiências que as pessoas tiveram com as estufas. As estufas elétricas são como aquecedores de médio e pequeno porte que funcionam aquecendo um filamento ao ponto deixá-lo incandescente. Isso emite calor para todo o ar ao redor desse aparelho.

Porém, por se tratar de um material incandescente, as moléculas de oxigênio que entram em contato com a superfície superaquecida do filamento, entram em processo de combustão, alimentando o calor, mas diminuindo o nível de oxigênio no ar do ambiente. Porém, sempre foi uma precaução muito bem conhecida a de não ligar estufas em lugares muito fechados. 

Estufas não produzem resíduos

Além disso, ao contrário do que também muita gente imagina, as estufas não geram resíduos. Enquanto métodos de aquecimento à base de combustíveis geram subprodutos tóxicos se inalados em excesso (como o monóxido de carbono), a estufa apenas oferece um certo risco na diminuição do oxigênio.

Pois bem, provavelmente foi dessa situação que saiu a ideia de que o ar-condicionado também consome moléculas de oxigênio, causando assim, falta de ar respirável no ambiente.

Ar-condicionado quente causa falta de ar?

Vamos direto ao ponto: não, o ar-condicionado no modo aquecimento não consome oxigênio. Os aparelhos quente/frio (conhecidos como ciclo reverso também) produzem calor através do sistema de compressão de fluidos. O ar passa através das tubulações aquecidas e é impulsionado para dentro do ambiente a ser climatizado.

O ar é puxado por ventoinhas, normalmente na parte de cima da evaporadora (unidade interna), aquecido na parte de dentro e então expelido já quente pelas saídas principais na frente. Muito pelo contrário, então, o ar-condicionado no modo quente está constantemente sendo revitalizado pelos aparelhos com essa função.

Lembrando, o ar-condicionado split quente/frio não puxa o ar de fora. Ou seja, ela não puxa o ar externo e joga para dentro do ambiente, ele apenas faz as trocas de calor. De outra forma, como ele poderia funcionar em dias frios? 

Dicas para usar o ar-condicionado no inverno

Agora que você já sabe que o ar-condicionado no modo quente não é perigoso, vamos entender algumas dicas e benefícios do seu uso. Além do óbvio, é claro, manter seu ambiente aquecido e confortável nos meses mais frios do ano.

É preciso um modelo de ciclo reverso

Não tem como um ar-condicionado frio fazer aquecimento. Se o aparelho é exclusivamente de refrigeração, então ele só vai executar a opção de esfriar o ambiente. Você precisa ter um equipamento quente/frio se quiser usar a opção aquecimento.

Temperatura ideal

Também não é recomendado que você utilize o ar-condicionado em temperaturas extremas tanto no modo frio quanto no modo quente. Segundo a Anvisa, a temperatura ideal para se deixar os climatizadores funcionando é de 23ºC. Isso vale, inclusive, até para ninguém gastar mais dinheiro do que o necessário.  

Limpeza periódica

Durante o inverno, o ar-condicionado também acumula sujeira. Some-se isso à umidade, e temos uma receita para o desastre. Se no verão é preciso cuidado com a limpeza dos filtros, no inverno também! A recomendação é que seja feita a manutenção mensalmente, no máximo de 60 em 60 dias.

E aí, ficou alguma dúvida sobre o mito do ar-condicionado no quente que consome oxigênio? Dúvidas e sugestões podem ser deixadas nos comentários!

Redação do Portal WebArCondicionado