Por Yuri Correa,
Redação do WebArCondicionado

O ventilador pulmonar é um aparelho muito importante que é usado nos hospitais para lidar com doenças respiratórias e paciente vítimas de outras enfermidades.

Esse equipamento está salvando muitas vidas agora durante a pandemia de coronavírus. Também chamado de respirador pulmonar, esse aparelho é o principal aliado dos médicos no combate à Covid-19. Hoje vamos te explicar como ele funciona e de onde surgiu.

ventilador-pulmonar-respirador-pulmonar-coronavirus

Veja o que é e como funciona um ventilador pulmonar – Imagem: AgileMed

O Que é um Ventilador Pulmonar?

O ventilador pulmonar é uma máquina que ajuda o paciente respirar através da ventilação. Ou seja, ela empurra o ar para dentro dos pulmões. Aliás, esse “empurrão” de ar é chamado pelo médicos de “pressão positiva”.

E na verdade, o ar que é empurrado não é o mesmo ar que nós respiramos. É uma mistura de gases, incluindo o oxigênio, que busca manter as condições o mais parecidas possível como as do ar normal. Entre elas, o nível de umidade, por exemplo.   

O ventilador pulmonar empurra essa mistura para dentro dos pulmões de três maneiras diferentes:

  • Através de uma máscara;
  • Através de um tubo colocado pela boca até o nível da garganta;
  • Ou através de uma traqueotomia.

Vamos explicar como funciona cada uma delas a seguir. Mas CUIDADO! Se você é sensível às descrições médicas, sugerimos que pule direto para o tópico “Como Funciona o Ventilador Pulmonar”, para que possamos continuar te informando.

Ventilador Pulmonar com Máscara

Esse método é o menos agressivo. Ele envolve colocar no paciente uma máscara que cobre a sua boca e o seu nariz. Essa máscara é ligada a um tubo que força o ar para dentro dos orifícios, chegando até o pulmão.

Tubo Endotraqueal

Nesse aqui a coisa já fica um pouco mais invasiva. O método envolve colocar um tubo pela boca do paciente até a altura da garganta. O ar passa por ali e vai direto para dentro dos pulmões.

Esse método é utilizado em casos mais graves, quando o paciente não consegue respirar sozinho sem a ajuda de aparelhos. Então quando você ouvir no noticiário que alguém foi “entubado”, é desse método aqui que estão falando.

Traqueotomia

A traqueotomia é o método mais agressivo de todos. Ele envolve fazer uma abertura na traquéia do paciente, e aí o tubo de ventilação é inserido diretamente ali.

Quando isso acontece, o paciente também está “entubado”. Porém, esse método é utilizado apenas em casos muito graves ou quando o paciente precisa ficar por muito tempo respirando com a ajuda de aparelhos. Algo como semanas ou meses.

Como Funciona o Ventilador Pulmonar?

O ventilador pulmonar possui um painel de controle onde o profissional da saúde, seja o médico ou enfermeiros, configuram as condições ideais para cada paciente. 

Hoje em dia os ventiladores pulmonares podem ser configurados para atender pacientes de todas as idades e com as mais variadas necessidades. Das pequenas crises de falta de ar até uma parada respiratória. 

Veja bem, tem pacientes que vão precisar de muita pressão positiva de ar, e outros que não precisam de tanto. Se o “empurrão” for muito forte, o fluxo de ar pode até machucar seriamente os pulmões do paciente, ainda mais se for uma criança ou um bebê.

Quais são os Componentes do Ventilador?

A maioria dos modelos desse aparelho é composto pelos seguintes componentes:

  • Um sistema de controle;
  • Válvulas de gases que os sistema controla;
  • Alarmes e sensores;
  • Mangueiras e tubos.

Veja abaixo um esquema de como funciona o sistema quando está ligado a um paciente. Perceba que não se trata de um tubo simples que sai da máquina e vai para o rosto da pessoa.

ventilador-pulmonar

Imagem: PUC-Rio

Os tubos saem de tanques e são ligados com mangueiras auxiliares que injetam a nebulização, fazendo a mistura de gases que deixa o ar mais parecido com o nosso.

Reanimador Pulmonar

Agora, não devemos confundir o ventilador pulmonar com o reanimador pulmonar. O reanimador é um equipamento médico portátil que também funciona com o método de máscara.

Ele é basicamente um balão de silicone com uma máscara engatada na saída. Ele é utilizado assim: o profissional da saúde coloca a parte da máscara no rosto do paciente e aperta o balão com as mãos.

reanimador-pulmonar

Imagem: Reprodução

É preciso manter um ritmo constante e ininterrupto para manter a respiração do paciente estável. Por isso que esse item é utilizado muito mais durante os primeiros socorros. Mas durantes crises como a pandemia do coronavírus, quando não há ventiladores pulmonares para todos, pode ser preciso utilizá-los durante tratamentos intensivos nas UTIs e CTIs.

Como Surgiu o Ventilador Pulmonar?

As primeiras máquinas de auxílio à respiração surgiram na década de 1920 para ajudar pacientes vítimas de poliomielite. Eram os chamados tanques de pressão negativa – ou, como eram popularmente conhecidos: pulmão de aço.

pulmao-de-aco

Imagem: Reprodução

Ao contrário dos modernos ventiladores pulmonares, os tanques de pressão negativa não empurravam o ar para dentro dos pulmões. O paciente era colocado dentro deles e ficava só com a cabeça para fora. Lá dentro, era criada uma atmosfera com pressão menor do que a nossa, e isso forçava os pulmões a expandir.

Os pulmões de aço evoluíram para coletes de acrílico que são bem mais práticos no uso da pressão negativa hoje em dia. Depois disso, as coisas evoluíram um pouco e surgiram os ventiladores de pressão, os de volume e, finalmente, os eletrônicos controlados por microprocessadores que seguem o padrão dos que usamos hoje. Mas isso foi só lá na década de 1980.

Como evitar Doenças Respiratórias?

Hoje, o ventilador pulmonar é um aparelho indispensável das unidades de tratamento intensivo nos hospitais. Durante a pandemia do coronavírus, enquanto não é desenvolvida uma vacina, essa máquina é a principal arma dos médicos contra a Covid-19.

Nós torcemos muito para que nenhum de nossos leitores chegue nem perto de precisar de uma máquina dessas. Aliás, é possível evitar diversas doenças respiratórias e seus agravantes utilizando as dicas que listamos nessa postagem aqui. Dessa forma, você pode se cuidar para não desenvolver um quadro respiratório grave, algo ainda mais perigoso durante essa crise.