Material pode ser usado em roupas e é uma estratégia contra as mudanças climáticas
tecido experimental metafabric

Tecido experimental metafabric pode ser usado em roupas e é uma estratégia contra as mudanças climáticas!

Com a proposta de resfriar o corpo e diminuir o calor, novo material inovador surgiu em universidades chinesas. O tecido experimental metafabric é constituído por fibras sintéticas e nanopartículas que refletem a luz do sol e o calor.

A iniciativa é uma alternativa sustentável de reduzir o consumo de energia, pois substitui equipamentos usados em dias quentes. Com o material em uso, a ideia é que diminua a temperatura corporal, o que vai gerar conforto térmico.

Por isso, ganha importância até pelo informado no relatório do Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas. No documento das Nações Unidas, a previsão é que as temperaturas globais mais altas serão mais frequentes nas próximas décadas.

Conforme noticiado pelo portal Tilt UOL, com informações do Wired, o tecido experimental metafabric utiliza materiais de politetrafluoretileno, popularmente conhecido pela marca Teflon, e de nanopartículas de dióxido de titânio – comuns no protetor solar.

Veja o efeito de cada componente no tecido:

  • Politetrafluoretilenoou Teflon: Reflete os comprimentos de onda ultravioleta;
  • Nanopartículas de dióxido de titânio: Tem capacidade para refletir diversos tipos de luz e absorve os raios ultravioleta (UV).

A mistura de ambos os elementos permite que o metafabric reflita a luz solar. Assim é o primeiro tecido a aproveitar o mesmo sistema de tintas reflexivas de edifícios e de ônibus espaciais.

Tecido experimental metafabric na prática

A eficiência do tecido foi identificada em diversos testes. Um deles aconteceu na Universidade Zhejiang, na China, com a participação de estudante que utilizou o metafabric num lado e algodão no oposto.

Com ele no sol por uma hora, cientistas monitoraram a temperatura corporal por câmeras infravermelhas e a pele por sensores. Os pesquisadores concluíram que o lado com metafabric estava 5°C mais frio do que o de algodão, resultado publicado na revista Science.

Cientistas que participam do estudo acreditam que o material é uma alternativa no combate às mudanças climáticas, pois pode diminuir o uso de ar-condicionado e de aquecedores.

Yaoguang Ma, integrante do estudo, afirma que o tecido pode ser vendido em roupas, contribuindo para economia de luz. A justificativa é o conforto térmico que pode gerar em quem usar o metafabric.

O próximo desafio é torná-lo acessível a todos: “Um dos meus desejos é que as pessoas se beneficiem da tecnologia”, afirma Ma.

Redação WebArCondicionado – Com informações do portal Tilt Uol