Atualizado em 18/05/2021

Na estação mais fria do ano, demanda de serviços e o preços dos aparelhos costumam diminuir

ar-condicionado inverno

Confira como se organiza o setor de ar-condicionado no inverno!

Quando o inverno chega, o Sul e Sudeste do Brasil costumam registrar temperaturas mais frias do que em outras regiões. Com isso, os casacos pesados, as botas e os cachecóis começam a sair do armário. Em outros locais do País não faz tanto frio, mas mesmo assim a demanda de ar-condicionado acaba diminuindo.

Para quem ainda não tem o aparelho, a opção é adquirir um modelo Quente/Frio e passar um inverno de forma mais confortável, afinal, ainda restam alguns meses pela frente até o calor voltar.

Como fica o mercado de ar-condicionado no inverno acontecendo? Veja ponto a ponto a seguir!

Oportunidade para os consumidores

E é justamente no inverno que as lojas começam a baixar os preços, tornando essa a melhor época do ano para adquirir um condicionador de ar.  Outra vantagem é na hora da fazer a instalação, pois os técnicos costumam fazer promoções e têm mais horários livres.

Mas o que os profissionais do setor de ar-condicionado têm a dizer sobre o trabalho no inverno? É tempo de escassez de trabalho? Como ficam as agendas, que no verão, estão sempre lotadas? Será que no inverno a situação muda em todo o Brasil? Ou será que os bons profissionais não sentem a queda?

Instalar AGYX

Instalação de Ar-condicionado – AGYX.

Como é o trabalho do instalador no inverno

Para Rafael Barbosa dos Santos, técnico que atua em Porto Alegre e região metropolitana, no inverno costuma diminuir o número de clientes. “Caiu em torno de 80% comparado ao verão, sendo otimista”, confessa Rafael, autônomo à frente da RS Climatização.

“No verão, quando recebo alguma ligação, só consigo horário na semana que vem. Então, não para e não tem mais agenda”, explica o profissional, que costuma instalar em média quatro aparelhos por dia e trabalha até no domingo. No inverno, três ou quatro é o número de instalações que faz na semana.

“Fecho cerca de 10 serviços no mês, porque não é toda semana que consigo e a maioria é manutenção”, conta o técnico. Ele ainda explica que a renda no inverno é salva por contratos que tem com hotel, clube campestre e clientes fixos de revisão.

Procura por instalação de Ar-Condicionado cai na estação

O caso de Rafael não é único. A maioria dos instaladores sofrem com a redução da procura por instalação e manutenção na estação mais fria. André Lechinski, profissional autônomo que atua há 2 anos como técnico, fala o mesmo sobre suas experiências no trabalho.

“Em junho deste ano peguei um serviço somente, pois estava uma temperatura boa em Porto Alegre e não precisava de ar nem para o quente nem para o frio”, justifica o instalador da Lechinski Ar Condicionado, comentando sobre o calor fora de época no Rio Grande do Sul. “Com certeza cai bem mais de 50 a 60%. É bem significativa a queda de serviços”, conta Lechinski. Rafael concorda e explica que no verão tinha serviço todos os dias.

E para as lojas, qual o impacto do inverno?

Solange Mossmann, Gerente do Portal WebArCondicionado, explica o impacto do inverno nas vendas a partir do comparador de preços de ar-condicionado. “Na Sul do Brasil, por exemplo, o ar-condicionado sofre de uma certa sazonalidade. Há uma boa diminuição das vendas neste período, porém a queda também acontece nas outras regiões”, declara a Gerente. Segundo ela, a retração fica em torno de 25%.

Apesar da redução nas vendas em geral, vale lembrar que o ar-condicionado de ciclo reverso tem um desempenho melhor nas conversões nesses meses de frio. “Sempre nessa época do ano a procura por Quente e Frio aumenta consideravelmente, o que significa também um acréscimo nas vendas deste ciclo”, destaca Solange, falando sobre a categoria que resfria e aquece.

Ar-condicionado é no WebArCondicionado.

Redação WebArCondicionado