O veranico de outono chegou um pouco mais tarde esse ano. Normalmente o calor fora de época acontece ali em meados de maio, mas devido a uma massa de ar seco sobre o Oceano Atlântico, as altas nas temperaturas foram empurradas até junho. Isso tudo forma um fenômeno conhecido como Bloqueio Atmosférico. Vamos entender como ele funciona e até quando se estende essa anomalia na estação.

O ápice do veranico (que é o nome desse calor fora de época) deve chegar nesta sexta-feira (14) e sábado (15). Por causa disso, o tempo se mantém firme até lá, especialmente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

O que é o Bloqueio Atmosférico

Resumindo, o Bloqueio Atmosférico se caracteriza por uma massa de ar seco que impede o avanço das chuvas sobre uma determinada região. Um sistema de alta pressão (que é o nome mais técnico para “massa de ar seco) está concentrado sobre Oceano Atlântico próximo à região sudeste do Brasil, influenciando o tempo em toda a metade sul do país, além de países vizinhos, como a Argentina, o Paraguai e o Uruguai.

Áreas mais afetadas

Embora o sul esteja sentindo essa anormal alta nas temperaturas, uma vez que em junho os gaúchos e os catarinenses estão acostumados a usar roupas pesadas de inverno, a região central sofre ainda mais. Pois, dentre as consequências do calor fora de época é que essas regiões, que a essa altura estaria passando por temperaturas amenas, deverão passar por marcas de 35ºC até que essa massa de ar seco venha a se dissipar, por causa da ausência da frente fria que subiria do sul.

Entenda como funciona o ciclo de chuvas no Brasil.

Umidade baixa em todo o país

Já que a umidade não consegue trazer a frente de chuvas pelo sul, o nível de umidade baixa em todo o território brasileiro. Norte, nordeste e centro-oeste devem ser as regiões mais secas nesses dias, com determinadas áreas perdendo até 20% do nível de umidade.

Tempo abafado no sul

A região sul e sudeste, entretanto, enfrentam um problema diferente. Com duas frentes disputando área naquele território, os estados mais ao sul do Brasil devem sofrer com o tempo abafado, Ou seja, sol intenso por trás de céu encoberto na maior parte do tempo.

No sábado (15) existe risco de temporais no Rio Grande do Sul, especialmente perto das fronteiras. A onda de calor, porém, deve ser o último resquício de verão do ano para os gaúchos e catarinenses. Junto com o avanço das chuvas, depois desse veranico, deve vir a frente fria para abrir o inverno.

 

Redação do Portal WebArCondicionado