Trocando o ar condicionado de lugarA maioria das pessoas, quando muda de casa, costuma levar os aparelhos de ar condicionado para a nova residência. O motivo pode ser o custo mais baixo de transferência do que a compra de um novo. Até mesmo mudar de ambiente dentro da própria casa ou estabelecimento é uma ação possível, mas para (qualquer) mudança, cuidados são necessários.

Com a ajuda de alguns representantes e empresas na área de climatização, listamos precauções que precisam ser tomados durante o procedimento:

Contate um profissional
Antes de tudo, não tente retirar o aparelho você mesmo. Este serviço deve ser realizado por um profissional especializado, esteja ciente de que será preciso chamar um instalador. Depois, com a ajuda dele, verifique se o aparelho está em boas condições de uso e se é viável a mudança do equipamento, pois a mão de obra durante a mudança é grande.

Higienização e demais cuidados
Em muitos casos, dependendo do local onde estava instalado deverá ser desmontada a unidade interna (evaporadora) para executar a lavagem da serpentina, com a aplicação de produtos químicos e bomba de alta pressão, ocorrendo o mesmo com a unidade externa (condensadora). Deverá ser tomado o máximo de cuidado para não danificá-las e nem expor a umidade, visto que a umidade é prejudicial para o equipamento.

Qual é o procedimento correto?
Na hora de retirar o aparelho, os passos a serem seguidos, conforme Roberto Kitamura, proprietário da Fuji Ar, são:

1 – Fazer o recolhimento do gás (fluído refrigerante). Para recolhê-lo conecte a mangueira azul do analisador de pressão (conjunto manifold) na válvula de serviço da unidade externa e com o registro  do manifold fechado,  ligar o aparelho em refrigeração.

2 – Fechar a linha de líquido (fina) com o auxílio de uma chave sextavada (chave allen).

 3 – Deixar a Pressão cair até ficar Negativa.

 4 – Fechar a válvula da linha de vapor (grossa), desligar o condicionador de ar e aí poderão ser desconectadas as tubulações.

Contate um profissionalAinda de acordo com Kitamura, referente ao gás, deve-se tomar cuidado para que ele não seja liberado na atmosfera, pois é prejudicial ao meio ambiente. “Caso o equipamento esteja com problemas e não consiga fazer o compressor funcionar, deve ser feito um diagnóstico para saber se ele está queimado. Caso positivo, deverá ser utilizado uma recolhedora e um cilindro especial (somente para gases refrigerantes à serem descartados). Após isso, a recolhedora deve ser limpa com a passagem do fluido 141-B para que possa ser utilizada posteriormente”, Se o problema for elétrico ou eletrônico, o profissional diz que “o gás refrigerante poderá ser reutilizado, devendo ser recolhido com uma recolhedora e um cilindro especial para acondicionar o fluído refrigerante que poderá ser utilizado posteriormente. Além disso, no recolhimento do fluído refrigerante, se deve tomar cuidado para não misturar os gases diferentes, tais como R-22 ou 410-A, que são os normalmente utilizados”.

Para a empresa ReformAr, o procedimento é o mesmo, apenas acrescentam que “se for desinstalar apenas a unidade interna, o procedimento de retirada será somente da evaporadora. O mesmo acontece com a unidade externa. Além disso, o deslocamento da tubulação deverá ter um apoio técnico”.

Transporte do aparelho
Depois de retirar o aparelho, outro cuidado a ser tomado é o transporte dele. Segundo a empresa TecnoAr Brasil, “a evaporadora pode ser transportada sem maiores preocupações. Já a condensadora, não pode tombar, deve ser mantida sempre em pé”. De acordo com a ReformAr, “a condensadora deve estar sempre de pé. Se isso for desobedecido, será preciso deixar o equipamento em torno 2 horas desligado, inerte em pé, antes da instalação”. Além disso, a empresa lembra que após desinstalar os equipamentos, é necessário protege-los com material adequado contra o mau tempo e outras eventualidades.

Segundo o manual da fabricante Elgin, não se pode inclinar a unidade externa condensadora, mais que 30º durante o transporte.

Roberto Kitamura acrescenta que é necessário lacrar com fita isolante as conexões, para evitar a entrada de corpos estranhos e até insetos nas tubulações. Deve se tomar cuidado quanto a impactos e amassamentos, pois o equipamento é frágil.

Reinstalação do ar condicionado
De acordo com a ReformAr, “a reinstalação deverá conter os mesmos procedimentos da instalação, executando a limpeza interna da tubulação de cobre com fluido detergente, execução de vácuo e carga de fluido de acordo com as orientações do fabricante. Já as tubulações utilizadas, poderão ser reaproveitadas, dependendo do estado de rigidez e conservação. Se o tubo estiver mal conservado, então ele deverá ser substituído”.

Redação do Portal WebArCondicionado.