[ x ] Fechar

Falta de fiscalização do CREA desqualifica o setor de ar condicionado

  • 18 de abril de 2018
  • 11 Comentários

lauraPor Laura Vooght*

 

falta-fiscalização-crea-ar-condicionado

Credenciamento ao CREA exige reembolso anual, mas quem paga muitas vezes é como se estivesse jogando dinheiro fora porque não há fiscalização.

Há 2 anos sou técnica e até agora não houve fiscalização, mas acredito que profissionais qualificados, formados e com registro tenham mais conhecimento para melhor atender. No meu dia a dia nos deparamos com serviços executados por pessoas que não sabem o que estão fazendo. Por exemplo, existem “técnicos” que só sabem fazer instalação ou limpeza, nem sabem do funcionamento técnico de um aparelho de ar condicionado, ou seja, a teoria.

Esses mesmos fazem serviços de má qualidade, com preço baixo e desonestidade… Há casos de clientes reclamarem para mim que o mesmo levou o ar e devolveu faltando peça, ou que levaram para consertar e não resolveram, entre outros. No verão aparecem muitos desses fazendo bico nessa época para aumentar a renda, e às vezes nem têm empresa aberta.

Fiscalização para promover a qualidade técnica

O importante da fiscalização é isso, acabar com esses tipos de “técnicos”, mais conhecidos como “penduradores de ar”. Eu não sou credenciada ao CREA, sou MEI e já busquei informações para me credenciar. Os passos são o seguinte: ter um técnico formado na empresa para poder se cadastrar, e após ser cadastrado, você tem que pagar uma taxa anual ao CREA.

Aqui na minha região, Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, por exemplo, já busquei cursos técnicos e não temos, fazendo com que seja necessário haver um técnico formado e pagar mais a taxa anual do CREA.

O custo de ser credenciada ao CREA é muito caro!

Leia também: “Prostituição” do setor de ar condicionado: uma reflexão sobre o mercado

laura-colunista-webarcondicionado

* Lembramos que esse texto é de autoria da nossa colunista do dia. Respeitamos qualquer tipo de opinião, pensamento ou consideração sobre o assunto abordado. 

Leia mais publicações de Laura Vooght >>

Quer ser nosso colunista e ganhar visibilidade no maior portal de climatização do Brasil? Entre em contato com o WebArCondicionado.

Colunista do Portal WebArCondicionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 Ideias sobre "Falta de fiscalização do CREA desqualifica o setor de ar condicionado"

  • Bom quem começou esta prostituição foram os próprios fabricantes onde antigamente tinha uma ordem onde a garantia do equipamento era por ser instalada por pessoa qualificada , onde por acaso devido a concorrência entre eles antigamente era leal hoje temos os representantes de varias espécies onde acabam eles mesmos se prostituindo e isso arrastou a profissão.
    Hoje ser uma assistência técnica pra que ter uma dor de cabeça enorme pois ser responsável ,vestir a camisa , ser fiel a uma marca que não se valoriza a si própria , se prostituindo e prostituindo a profissionais qualificados pois para ser uma assistência técnica não e para Pendura dores de ar condicionada.

    A fiscalização na minha opinião deveria partir dos fabricantes onde são os maiores culpados pelos Problemas incluindo todas as instalações de pequeno a grande porte pois o nome que fica na obra e o do fabricante.

    Não sou contra os pendura dores pois como os outros Eletros domésticos vem um manual no equipamento onde explica todos os passos sou sim a favor de uma tabela fixa onde o cliente fica a disposição para fechamento pois esta inviável para todos e no mais quem perde e o cliente e o fabricante que tem seu nome prejudicado.

  • realmente é complicado! nossa empresa tem registro no CREA, e infelizmente, mas, até hoje foi somente para pagar taxas anuais em torno de R$ 740,00 no total, e taxa para cada ART emitida, e nenhum fiscal para que a concorrencia se torne leal, qualificada e principalmente segura. Custo Brasil R$…

  • A anos concordo e compartilho com vários TÉCNICOS E MECÂNICOS, o que a grandiosa LAURA MENDES comenta em sua publicação, nosso setor esta se prostituindo cada dia mais, prova disso é com relação a fiscalização na venda do fluido refrigerante.
    Qualquer loja que voce for comprar, a orientação que voce tem do balconista é, se voce não é cadastrado no IBAMA, tem de fazer o cadastro, o que leva no máximo, 20 minutos pra um leigo.
    a muito tempo atra, mandei uma carta a ABRAVA-SP, a respeito do problema, e ainda fui mais enfático, sugerindo que poderia se adotar um registro dos mecânicos e técnicos que fizeram os cursos de BOAS PRATICAS DE REFRIGERAÇÃO, seja ele no SENAI, ou outra instituição qualquer, (desde que credenciada nos órgãos competentes), assim talvez conseguiremos realmente iniciar um processo de qualificação profissional, e tambem ter um orgão fiscalizador, afinal, nos dias de hoje, qualqquer um pode instalar um sprit, isso mesmo sprit, porque SPLIT, tem de ser qualificado, até pra saber onde pode ser e como deve ser instalado.
    abraço a todos.
    H. HUDSON

    • bem como vc disse e que já é do conhecimento de todos , qualquer um esta virando instalador de ( sprit ).
      aqui na minha região tem dessa qualidade .surgindo da noite para o dia,prostituindo a profissão. (“colocação “) do aparelho na parede no valor de RS 250,00 reais
      falei colocação e não instalação.

  • Concordo plenamente tenho empresa e a prostituição na climatização ta muito grande e pior os penduradores de ar são os pior e manter um engenheiro só pra assinar ART ja teria fechado minha empresa sou técnico a 15 anos e o governo só sabe embolsar perdo obras grande por causa de assinatura de engenheiros querem ganha mais de quem vai executar a obra não sabe nem em que mundo tão e querm cobrar absurdos só pra realizar um pmoc vão estudar de novo !!!!

  • Bom. Seu texto só me diz uma coisa. Que está preocupada com a concorrência e tem como desculpa o fato de que quer uma melhor qualidade nos serviços. Ao meu ver, em nada impede uma pessoa que não seja credenciada, que tenha um curso, ou conhecimento de atuar na área. São pessoas como essas que nos fornecem serviços. São pessoas como essas que fazem mostrar a importância de um profissional capacitado, que mostram o quanto é mais caro um mal profissional, do que um bom serviço. Não há meio mais eficiente para isso, até mesmo no meio de profissionais capacitados é possível encontrar penduradores, gateiros e todo o tipo de profissional desonesto e regular ao ponto de eliminar técnicos e eliminar a concorrência faz com que os desonestos credenciados também tomem proveito disso. É esse o tipo de atitude que eu mais vejo em pessoas do nosso ramo, participo de grupos de refrigeristas pelo Brasil inteiro, a maioria quer eliminar a concorrência, quer dizer o que o outro deve ou não cobrar, quanto cobrar, o que fazer, como fazer, sem entender basicamente quais são as necessidades das pessoas. É como se quisessem eliminar a grande quantidade de pessoas trabalhando na área, para ao invés de batalhar para conquistar seus clientes e fidelizá-los, simplesmente decidi-se eliminar a concorrência… É bem mais fácil né. Eu por outro lado, ganho mais dinheiro consertando cagada dos outros do que fazendo um serviço desde o início. Lembre´se que o cliente antes de fechar com o outro, teve escolha, hoje não fazem só um único orçamento, não compram ou fecham um serviço sem antes consultar outros, ir para a internet ou algo do tipo, pensar dessa maneira é até achar que o cliente é totalmente bobo o que não é.

  • Creio que o CREA deixar a desejar muito isso desmotiva os profissionais sério , pensei que era só na minha região que acontecia isso.