[ x ] Fechar

“Prostituição” do setor de ar condicionado: uma reflexão sobre o mercado

  • 07 de julho de 2017
  • 37 Comentários

Vamos procurar entender melhor os preços cobrados nas instalações de ar-condicionado e por que a expressão “profissão prostituída” aparece tanto entre os comentários dos profissionais?

A gente sabe que com a situação econômica do Brasil, está cada vez mais difícil manter uma cartela de clientes, e consequentemente, um faturamento que corresponda às nossas necessidades.

Mas sabemos também que hoje em dia, ninguém mais quer ficar sem ar-condicionado em casa. Se até no Sul anda fazendo calor no inverno, não é difícil imaginar como deve ser em outras regiões mais quentes. E nos dias de frio intenso? O ar-condicionado também é o melhor amigo do consumidor no quesito climatizar o ambiente e deixá-lo confortável.

Leia aqui mais dicas de carreira e negócios no setor de climatização

Então por que não temos um preço mínimo? Por que alguns profissionais cobram tão pouco por um serviço que é tão complexo e que precisa de tanto estudo para ser excelente? Talvez porque esse serviço não seja excelente? Talvez porque aqueles que cobram tão pouco não estejam devidamente qualificados? Os chamados “penduradores de ar” existem por que não há uma legislação? Um registro de fato entre os profissionais de climatização?

Queremos “ouvi-los” profissionais de climatização? Qual a sua opinião sobre isso e como a gente poderia reverter esse problema que está cada vez pior?

Redação do Portal WebArCondicionado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

37 Ideias sobre "“Prostituição” do setor de ar condicionado: uma reflexão sobre o mercado"

  • Não vejo como algo impossível de acontecer….desprostituir o mercado de refrigeração…basta vontade..
    No mercado de segurança eletrônica como funciona…os distribuidores da minha cidade somente vendem produtos (equipamentos, peças e acessórios) para os profissionais que comprovarem conhecimento técnico (certificado do curso de formação)…só nessa atitude 70 dos amadores estariam fora do mercado…sem falar que uma forma de garantir um bom serviço e do distribuidor ter “certeza” que o produto será bem instalado….

  • Em meu Ponto de Vista, até os Fabricantes estão tentando melhorar o mercado, com cursos e parceirias com distribuidores, pois um instalador que cobra barato, consequentemente usa materiais de baixa ou péssima qualidade, não tem Qualificação tecnica nem Profissional para exercer a Função.
    Com isso ele “estraga” o equipamento, e o cliente acaba reclamando da marca, que em sua vez não tem responsabilidade pela Instalação.
    O único jeito que vemos para mudar essa situação é: buscar sempre nos aperfeiçoar, ter um registro no CREA e cada vez mais fazer o CREA agir sobre isso, e ir atrás dos “pinduradores”. Pois o custo de operação das empresas está cada vez mais caro. A medida é drástica mais acho necessário, pois os clientes não vêem o risco que tem ao contratarem serviço deste tipo.

  • É muito difícil mudar essa situação, vejo em minha cidade por exemplo, pedreiro que também faz instalação elétrica, e eletricista que está fazendo instalação de ar. Não tem conhecimento técnico de refrigeração, mas hoje você entra no Youtuber e vai ver um monte de vídeos ensinando a fazer a instalação de ar condicionado, passado por técnicos que querem aparecer de alguma forma na mídia, e então é muito difícil mudar essa realidade.
    Para isso mudar seria necessário fundar um sindicato, e somente os filiados e credenciados nesse sindicato poderiam atuar como instaladores, do mesmo modo que uma pessoa que não é médica, não poderia exercer a profissão, ou advogado, ou qualquer outra profissão que necessite de qualificação profissional, esse sindicado ficaria a cargo para fiscalizar e exigir que os técnicos cobrassem um valor mínimo para cada tipo de instalação,e somente os técnicos com formação na área ou que já atuam a muito tempo como profissional de refrigeração, poderiam instalar e consertar aparelhos de ar refrigerado, punindo com multas quem fizesse o serviço e não fosse credenciado e inclusive o cliente.
    Mas isso hoje no Brasil seria impossível, por uma série de fatores que se fosse listar aqui seria enorme.
    E também é um problema cultural do brasileiro de sempre procurar levar vantagem em tudo.
    Difícil mudar essa realidade hoje.

  • Infelizmente há muita falta de compromisso dos que se dizem profissionais,que na verdade não passam de pinduradores de splits,
    e até mesmo de profissionais que não se importam com o que venha a trazer futuros prejuizos para o cliente, que não conhece e confia no profissional, pagando o preço cobrado!
    Respeito e responsabilidade temos que ter,ser conhecidos com bom profissional.
    A propaganda boca-boca é a melhor,cliente satisfeito, cliente sempre!

  • A prostituição se dá por conta das instituições como Senai que da curso técnico e ao mesmo tempo da um curso de 30 a 40 horas a te hoje não entendo este tipo de coisa um curso técnico de 1400 horas com direito ao registro do CREA (só serve pro técnico desembols

  • temos que nos unir e colocar valor nos nossos trabalho . Muitos nao medem nada e de qualquer jeito e pronto nao tem nem feramentas de medidas de fluido refrigerante

  • Olá, sou técnico formado no SENAI Oscar Rodrigues Alves SP. Investi pesado na minha qualificação profissional, fui morar em Santa Catarina e a algum tempo atrás, resolvi trabalhar como autônomo, pois percebi que na cidade havia uma carência de profissionais qualificado, sendo assim, resolvi fazer instalações e manutenção de condicionadores de ar.
    A Aproximadamente 4 anos o valor da instalação era de R$ 250,00 “instalação simples furo a furo” hoje acreditem há quem pendure um condicionador por R$ 200,00, por este motivo resolvi parar com instalações e mudar de área.
    A grande maioria dos clientes não se preocupam com a qualidade e sim com o preço, meu serviço dou 2 anos de garantia e se fizer as manutenções preventivas renovo esta garantia a cada limpeza de equipamento.

  • Boa noite …

    Cada região tem uma realidade de preço praticado devido a vários fatores, mas desde sempre, esses cursos de 2 dias usam a isca de alto salário e que é possível fazer “bico” de instalador nas horas vagas como se fosse algo simples, e associado a situação econômica do país cria esse cenário de prostituição … e o cliente se valendo da grande oferta de “profissionais” escolhe o menor preço. Lamentável essa situação

  • boa noite a todos ! O seguimento esta prostituído sim se bem que não é um caso isolado , falando com um diretor de uma marca de renome mundial ele me confessou que o Brasil tem um cultura bem diferente de outros países ou seja , nos outros lugares do mundo a Empresa que vende ou distribui não instala e vice versa no brasil é totalmente ao contrario , as empresas que distribuem as gdes marcas para aumentar o seu faturamento fazem vendas casadas ou seja ela vende e instala algumas possuem equipes próprias e outras contratam de forma amadora penduradores de ar condicionado , para atender a demanda que estas empresas investem na mídia ficam atoladas e ai começaram a contratar de qualquer jeito qualquer um que se diz instalador como não poderia deixar de acontecer o estrago foi feito e ai a profissão de instalador de splits recebeu o seguinte pseudônimo ” penduradores de ar condicionado ” ontem ao fazer uma visita de trabalho a um cliente me deparei com um destes que foram aliciados a trabalhar apar estas gdes distribuidoras e estava no prédio fazendo instalações sabe por qto ? R$ 200/ponto incluindo quebrar alvenaria , fazer elétrica , agora pasmem ele trabalhava p/ estas distribuidoras por R$ 30/ponto . sem mais comentários.

  • Vejo que cada vez mais tem profissionais e também semi profissionais ou curiosos no mercado em função de diminuição do tamanho das empresas de serviços ou o fechamento destas. Portanto vejo bons profissionais, médios profissionais e bastante curiosos que todos lutam para sobreviver no meio desta crise.
    É natural portanto que os preços caiam, prínciplamente pelos curiosos que não investiram em se formar tanto na escola como na empresa em que trabalharam e na.maioria das vezes não possuem além da qualificação os matérias.
    Creio que ter um preço mínimo acordado não daria certo.
    Porém caso houvesse para os profissionais a possibilodade de obter um certificado/ carteira fienwciso por uma instituição de nome como o senaí
    Poderiam ser diversos níveis de qualificação e a ser obtido através de prova prática e teórica
    Porém acho muito difícil isto ser implementado.
    O cliente também contribui para isto, procurando muitas vezes o preço mais baixo ( também muitas vezes paga o preço por esta.contratação onde ida )
    Resumindo, infelizmente não vejo solução viável a curto prazo

  • Reverter esse problema de fato será difícil, mas o que vai acontecer e já está acontecendo é que estes “penduradores de ar” estão fazendo a instalação de forma errada e está causando problemas nos aparelhos. Quando uma cliente fala que meu serviço está caro que ele encontrou um pela metade do preço, (é o que está ocorrendo) eu simplesmente tento explicar, “Eu trabalho para que meus clientes me procurem por ser o melhor, não o mais barato”.

  • Eu na minha opinião acho que é falta de fiscalização das autoridades pois vejo cursos de instaladores de ar sendo feito por ai onde dura 1 semana e entregam ate certificado, isso esta inundado o mercado de péssimos profisionais. isso sem falar das oficinas de fundo quintal que cobram mixaria, pois não pagam encargos nenhum.

  • Boa noite as lojas já tem um pendurador credenciado a ela pra evitar que a gente k temos impostos , funcionários e muitas outras burocracia pra estar no mercado enquanto eles fazem leilão nas instalações os caras não seguem normas técnicas e nem de segurança então fica difícil hj se manter no mercado was lojas só querem vender os produtos e depois k si dane . Aí sobra pra indústria cumprir com a garantia do produto por causa da marca . No mínimo exigir desses caras umas normas técnicas

  • Boa noite, acho que as autoridade competente deveria exigir ART para instalações de condicionadores de ar tipo split, como é no Estado do Ceará, ou será que preciso morrer alguém para eles tomarem providências, tipo pode cair unidade condensadora sobre predeste nestes grandes centros, ou por intoxicação por vazamento de fluído refrigerante em condicionadores de ar instalados dentro de dormitórios , ou por acidentes durante as instalações, muitos não usam cinto de segurança, e também não sabe os cuidados que devem ter com o trabalho com a eletricidade e o manuseio com cilindros com altas pressões tais com o cilindro do R 410A este não pode usar qualquer mangueira e também os cuidados que tem que ter com oxigênio acetilênio e nitrogênio.

  • Voces acham alguém cobrar R$ 800,00 para instalar um aparelho que vale R$ 900,00? Os penduradores de ar existem por culpa dos profissionais mas qualificados que cobram “os tubos” para fazer algo que qualquer um que tenha habilidade com ferramentas pode fazer…cobram uma fortuna e ainda não fazem a parte de alvenaria, com isso o custo total ultrapassa ou iguala a um aparelho de ar condicionado…

    • Sr. João Carlos cabe um comentário de um profissional que está 30 anos no mercado , oque é mais importante para o Sr. Ao contratar um serviço de ar condicionado preço? Qualidade? O Sr. É instalador de ar condicionado?

  • Além de penduradores agora são os mecanicos de watzap, não sabem de nada colocam todo tipo de pergunta nos grupos de watzap e os outros vão concertando por eles, já vi cada pergunta, “como liga os fios?”, “qual o cano usa eu uso para instalar maquina de 9000?”, “tem que fazer vácuo depois q tira para fazer manutenção?”, os cara perguntam o básico do básico e pior é que tem tonto q responde e ainda acha ruim quem reclama de pergunta besta, ai estão criando a nova modalidade mecânico de watzap se ficar sem internet morre.

    • Você disso tudo é isso que está acontecendo o indivíduo pega um aparelho pra consertar ou dar orçamento. Agente tá vendo que o cara não conhece nada muito menos o básico. Fica fazendo um questionario de perguntas.
      Aí vem os trouxas sabe tudo querendo se aparecer, vai mostrando o caminho das pedras pro cara.
      Coisas que agente pagou para aprender ou até mesmo aprendeu com a prática o Zé arruela vai passando de mão beijada pro cidadão.
      É lamentável. ..

  • Acredito que essa iniciativa veio em boa hora. A ” prostituição”na área de prestação de serviços de ar condicionado, de fato é um mau que vem ganhando adebitos em todo país não só por conta da crise, mas sobretudo devido a falta de profissionalismo, e a conivente falta de fiscalização. Sim pois até onde sei, normas e leis como por exemplo a ABNT, que cujos órgãos fiscalizadores siquer conhecem o número de empresas e “profissionais” que estão no mercado. Então eu penso que a solução virá quando a fiscalização fazer alguma coisa, do só vai piorar. E o prejuízo não só doi no bolso do bom profissional, mas também no bolso fabricante e mais ainda do consumidor final. É uma lástima!

  • na minha cidade tem gente instalando maquina por 100 reais…terrivel,estamos perdendo clientes por preco,precisamos de fidcalizacao do crea. regulamentacao.

    • Infelizmente, não sonhem e nem contem com o CREA. Ele só serve para levar o dinheiro dos técnicos e engenheiros e nunca lutaram pela classe tão pouco fiscalizam alguma coisa. É só ralo de dinheiro. Se para prestar serviço ou abrir empresa na área técnica, fosse necessário efetivamente do CREA, como funciona com os contadores (CRC), corretores de imóveis (CRESCI) e outras categorias, não teríamos o mercado prostituído Isto acontece não só na refrigeração, mas na eletrônica, elétrica informática e áreas técnicas em geral. O nego faz um cursinho por “telegrama” (kkk) e já sai falando que é técnico, sem noção de custos, administração, garantia, código de defesa do consumidor, etc. É lamentáááável!!!

  • A prostituição começa nas fabricas. Conhecia um vendedor de fabrica que forçava seus clientes a contratar pessoas e não empresas a instalar seus equipamentos, visando baixar os preços e vender mais. As lojas também vendem sem nenhuma orientação das fábricas ou profissionais qualificados, e sempre recomendam split de maior capacidade para esfriar mais rápido e economizar energia, o que é mentira. e assim o consumo de energia aqui no nordeste é absurdo, desnecessário e as subsidiárias de energia não acompanham o aumento de demanda prejudicando a qualidade da energia, e consequente funcionamento dos mesmos equipamentos.

  • Uma associação e não um sindicato seria uma solução ideal. Sua fundação dependeria de algumas reuniões entre os atores da cadeia produtiva no setor de climatização. Falo das indústrias que fabricam os equipamentos, falo do SENAI, que treina e certifica profissionais e incluo várias instituições de ensino profissionalizante. Exigir CREA pode ser uma má idéia, mas criarmos padrões mínimos de qualidade, aceitos pelos fabricantes e rede de distribuidores, que assegurem tanto procedimentos mínimos como valores mínimos para uma instalação de qualidade, tendo essa associação como órgão fiscalizador e ao mesmo tempo certificador (com programas de treinamento básico, assistência jurídica e mercadológica, programas de atualização profissional em parcerias com as indústrias e com uma presença nacional), que sirva de um centro de referência e excelência a exemplo de tantas associações com boas estórias de sucesso e que realmente promovam o aperfeiçoamento e a autossuficiência de nossos colegas. Mais um sindicato é tudo que nosso sofrido mercado não precisa.

  • Realmente, essa situação dos “penduradores de ar condicionado” é um absurdo. Além da insegurança que causam a todos, sabemos da qualidade ruim das instalações, acarretando péssimo rendimento e encurtamento da vida útil das máquinas. Acredito que a saída seria o CREA efetuar um estudo de como passar a exigir ART para esse tipo de serviço. Afinal é um serviço de engenharia onde o conhecimento técnico é obrigatório.

  • Boa tarde, acredito que as fabricas poderiam mudar este cenário, exigindo das distribuidoras que instalem apenas com técnicos credenciados, caso contrario ocorreria a perca da garantia, ai sim, melhorariam o mercado.

  • Temos todas as normas, normatizacoes, regras, sindicato, classe profissional e toda buroclacia necessaria para Ar Condionado, quem trabalha de acordo com elas tem seu custo maior, recolhimerto de impostos, contribuicao sindical, seguro de vida, INSS, curso de .NR10, .NR35, recolhimento de ART de engenheiro responsavel, cursos, treinamentos, ferramentas, equipamentos de seguranca e outros. Quem trabalha na legalidade acaba focando o trabalho em locais que exigem isso tudo e aceita pagar a mais por isso, e fica esse servico informal para o cliente que quer so preco, como existe em todas as areas.

  • Boa noite, acredito que se houvesse um sindicato resolveria em partes. Pois com a criação de um sindicato até que no começo iria inibir um pouco mais depois iria piorar. Por que também o cliente não quer saber de qualidade e sim preço. Não temos força o suficiente para melhorar o mercado prostituído. Ajudaria muito se as lojas se filiasem aos sindicatos também.

  • Deveria ter um sindicato que controlasse as empresas e autonomos com certificados e treinamentos, sem esses requisitos estaria impossibilitado de fazer os serviços, e se pegar fazendo cagada é multa grave.

  • Minha opinião, é que cada município deveria ter um série de regras para o funcionamento dessas ” empresas”, exigir CREA, e cursos técnicos desses profissionais pois já vi aparelhos caírem de parede e de marquise por falta de qualificação do profissional, além é claro do preço sempre ser quase que metade!