Atualizado por Yuri Correa em 28/10/2019
Redação do Portal WebArCondicionado

Você já ouviu a expressão “prostituição do setor”? Hoje vamos entender melhor os preços cobrados nas instalações de ar-condicionado e por que a expressão “profissão prostituída” aparece tanto entre os comentários dos profissionais.

O barato sai caro?

A gente sabe que com a situação econômica do Brasil está cada vez mais difícil manter uma cartela de clientes e, consequentemente, um faturamento que corresponda às nossas necessidades.

Porém, sabemos também que hoje em dia, ninguém mais quer ficar sem ar-condicionado em casa. Se até no Sul anda fazendo calor no inverno, não é difícil imaginar como deve ser em outras regiões mais quentes. E nos dias de frio intenso? O ar-condicionado também é o melhor amigo do consumidor no quesito climatizar o ambiente e deixá-lo confortável.

Então por que não temos um preço mínimo? Por que alguns profissionais cobram tão pouco por um serviço que é tão complexo e que precisa de tanto estudo para ser excelente? Talvez porque esse serviço não seja excelente? Talvez porque aqueles que cobram tão pouco não estejam devidamente qualificados? Os chamados “penduradores de ar” existem por que não há uma legislação? Um registro de fato entre os profissionais de climatização?

Queremos “ouvi-los” profissionais de climatização? Qual a sua opinião sobre isso e como a gente poderia reverter esse problema que está cada vez pior?