Atualizado em 18/10/2019 por Gabriela Giacomini
Redação do Portal WebArCondicionado

Agora vai um recado para quem trabalha ou quer trabalhar na área de climatização: Chegou a hora de se especializar! O mercado vem aumentando, mas na contramão desse crescimento está cada vez mais difícil encontrar profissionais qualificados que atendam as necessidades das empresas e consumidores.

Buscar novas formas de aprendizagem e atualização são pré-requisitos indispensáveis para o crescimento ou conquista de um futuro emprego.

 

O que leva à falta de qualificação

A perspectiva de crescimento de 15 a 20% no mercado de climatização não interfere na dificuldade de obter uma mão-de-obra devidamente qualificada. Na maioria das vezes, a procura das empresas para contratar esses profissionais pode ultrapassar 60 dias.

A situação acontece em todo o segmento HVAC. Mesmo com diversos cursos disponíveis na área, muitas das pessoas que atuam na área não buscam um novo aprendizado. Segundo a Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação (ASBRAV), existem outros fatores que agravam essa situação:

“O problema também é intensificado com a falta de capacidade dos próprios cursos. O aprendizado deve ser moderno, abordar assuntos atuais que possam preparar da forma mais adequada o profissional para o mercado”, explica a entidade.

Outro agravante que impede o crescimento desses profissionais é o nível de escolaridade, já que os cursos possuem como pré-requisito o ensino fundamental ou experiência comprovada na área.

Baixo nível de escolaridade

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018 mais da metade dos brasileiros de 25 anos ou mais ainda não concluiu a educação básica. Logo temos um problema, pois quem deseja começar a trabalhar no setor precisa comprovar o ensino fundamental.

Como dar a volta por cima e melhorar sua qualificação e a do setor de ar-condicionado

Portanto, para que o setor cresça não apenas em termos quantitativos, mais sim qualitativos, é importante que cada profissional busque instrução e aperfeiçoamento. A quem ainda não tem a educação básica completa, a melhor indicação é concluir os estudos em programa como EJAs (Educação de Jovens e Adultos), por exemplo, e após isso se profissionalizar como técnico de ar-condicionado.

Para quem já tem o nível de escolaridade concluído e até mesmo já tem cursos básicos de instalação e manutenção, o segredo é buscar constante atualização para garantir o seu espaço no mercado de trabalho e qualificar seus servições.

Se você gostaria de mais informações sobre o assunto, acesse nossa categoria de Carreira e Negócios para fazer parte do time de profissionais que são exemplo para os colegas de profissão.