Indústria faz pressão para presidente aprovar Emenda

Você sabe o que é a Emenda de Kigali? Esses acordos e tratados assinados por líderes mundiais parecem algo muito distante do nosso dia a dia. Porém, quando se trata de preservar a meio-ambiente e a nossa atmosfera, o problema afeta diretamente a nós e a toda indústria de HVAC.

O que é a Emenda Kigali

A Emenda de Kigali é uma nova parte que está sendo adicionado ao Protocolo de Montreal. O texto deve entrar em vigor no dia 1º de janeiro de 2019. Os países que assinarem embaixo devem parar de usar os gases HCFCs (hidrofluorcarbonetos) até 2040.

Os HCFCs entraram no mercado como gases para aerossóis, geladeiras, condicionadores de ar entre outros produtos, visando substituir os gases CFCs (clorofluorcarbonetos), nocivos para a Camada de Ozônio. Entretanto, foi descoberto que os HCFCs são gases que agravam o Efeito Estufa e o Aquecimento Global. Por isso, desde a década de 1980, tratados vêm sendo assinados para diminuir a emissão desses gases na atmosfera.

Setor HVAC apela a Trump

Alguns países como o Brasil já assinaram a Emenda de Kigali e se comprometeram a extinguir os HCFCs do mercado até 2024, outros como a China, até 2028. Mas os Estados Unidos, que possui um dos maiores mercados que mais utiliza esses gases, ainda não assinou a Emenda. Por causa disso, algumas das grandes fabricantes do setor HVAC, como a Emerson, Lennox e Johnson Controls, por exemplo, mandaram para a Casa Branca uma carta pedindo que o presidente Donald Trump encaminhe o texto para o Senado fazer a aprovação.

Vale lembrar que o presidente dos Estados Unidos chegou a rejeitar a participação dos Estados Unidos no Acordo de Paris no ano passado.

Agora, segundo um relatório do Instituto de Refrigeração, Aquecimento e Ar-Condicionado (na sigla em inglês, AHRI), caso os Estados Unidos não venha a aderir às medidas da Emenda de Kigali, o mercado estadunidense vai sofrer com a exclusão econômica e, portanto, com a desvalorização do mercado e a falta de emprego nos próximos anos.

O que o presidente dos EUA vai fazer agora?

Na carta enviada à Casa Branca, as grandes empresas argumentam que elas e Trump têm os mesmos objetivos ao procurar trazer prosperidade para o povo dos Estados Unidos. O texto lembrou também que o próprio Protocolo de Montreal foi assinado por Ronald Regan, outro presidente Republicano.

O apelo das corporações, entretanto, não é por acaso. Desde que assumiu a Casa Branca, Donald Trump se mostrou determinado a reverter ou descontinuar todos os acordos climáticos feitos durante o governo do democrata Barack Obama, sob a justificativa de que o combate ao Aquecimento Global é prejudicial ao mercado dos Estados Unidos. Por isso a expectativa frente a essa nova decisão.

Trump vai ceder e continuar atendendo as exigências do setor econômico, que é a sua base política, ou vai insistir na postura contra as políticas climáticas? Qual o futuro da indústria de HVAC no governo de Trump?

Redação do Portal WebArCondicionado.