Por Gabriela Giacomini,
Redação do Portal WebArCondicionado
industria-ar-condicionado-crescimento-2019

 

As fabricantes de sistemas de ar condicionado devem faturar aproximadamente US$ 115,8 bilhões em 2019, o equivalente a um crescimento de 4% comparado ao ano passado. As projeções foram divulgadas pela BSRIA, consultoria de mercado britânica que há 30 anos faz pesquisas e análises com fabricantes e distribuidores. 

Embora as vendas em todos os segmentos de produtos tenham aumentado, os Splits mais uma vez roubaram a cena, sendo a categoria que mais impulsionou o crescimento do setor ao expandir-se acima da média de 4%. Com isso, foi o quinto ano consecutivo de aumento no mercado impulsionado pela demanda por esse tipo de aparelho. 

Já os chillers e unidades rooftop apresentaram um crescimento mais modesto, abaixo de 3% em termos de valor.

 

Quanto cresceu cada região do mundo

Américas

As Américas formaram a região que mais contribuiu para esse crescimento global registrado. Juntas, a América do Sul, Central e do Norte expandiram-se 5%, número acima da média mundial. 

O Brasil e os Estados Unidos foram os mercados que mais influenciaram na expansão do setor, crescendo 7% e 6%, respectivamente. 

As vendas nos EUA, por exemplo, foram impulsionadas pela demanda do setor residencial, contrastando com um crescimento muito modesto em aplicações não residenciais.

O contrário aconteceu na Argentina e no México, onde ambos os países foram afetados por dificuldades econômicas, incluindo depreciação da moeda, aumento das taxas de juros e baixa produção no setor de construção civil.

 

Oriente Médio

Enquanto isso, a região composta por Oriente Médio, Índia e África (MEIA, em inglês) registrou crescimento de 4,5%. 

A Índia, aliás, mostrou um desempenho notável, criando a expectativa de se juntar ao grupo líder de nações em termos de número de unidades de condicionadores de ar instalados

 

Ásia-Pacífico e Europa

Já as vendas na região Ásia-Pacífico e na Europa cresceram 4% e 3,4%, respectivamente. No continente europeu, França e Itália foram os países que se destacaram entre os maiores mercados da região.

Vale lembrar que a região da Ásia-Pacífico é apresentada na pesquisa como responsável hoje por mais de 50% do mercado global total de ar-condicionado, onde a maioria dos países teve crescimento, conforme explicamos.

A única exceção foi a Austrália, que deve sofrer uma baixa de 2% em termos de volume, como resultado dos desafios no setor residencial relativo às mudanças na legislação e regulamentos mais rigorosos sobre empréstimos.

A China, famosa por ter o maior mercado nacional de tecnologia de ar-condicionado do mundo, mostrou um crescimento mais lento em relação a 2018.