Redação Portal WebArCondicionado

O chefe do organismo de certificação de fluidos refrigerantes do Reino Unido, o Refcom, realizou diversos alertas para empresas terceirizadas de refrigeração e ar-condicionado.

Graeme Fox fez diversos alertas para o R134 falsificado

Após confiscar produtos ilegais sendo usados por uma empresa em Derbyshire, o Refcom alertou os comércios e empresas para que tenham cuidado, após aprender cilindros descartáveis de refrigerantes ilegais marcados como R134a, mas que na realidade a informação não era verídica.

“Mais tarde, constatou-se que o gás era falsificado, pois o cilindro anunciava o conteúdo como R134a, que não é inflamável. O gás misterioso usado foi incendiado”, disse o chefe da Refcom, Graeme Fox.

Graeme Fox, Refcom

Conforme Fox, “o uso contínuo desses refrigerantes ilegais importados por empreiteiros sem escrúpulos é um problema muito sério. Eles não apenas danificam o meio ambiente e a atmosfera, mas também representam um perigo extremo para a vida e a propriedade”.

“Como se as ações dessa empresa não fossem ruins o suficiente, elas também foram vistas usando um cilindro ilegal em um compartimento de ambulâncias”, disse Fox.

Agora o assunto está nas mãos dos técnicos de segurança da United Safety e não foi revelado o que o cilindro realmente continha.

Leia também: Boas práticas na utilização dos fluidos refrigerantes

Apesar do resultado bem-sucedido desta investigação, Graeme Fox está preocupado com as atuações que deixam ser feitas. “As autoridades precisam aumentar sua atuação para fazer cumprir a legislação existente, porque ainda existem muitos maus profissionais, ou até mesmo por desconhecimento, utilizando produtos ilegais que compram on-line”, disse ele.

Segundo Fox, “as empresas de fluidos refrigerante que fazem parte do Refcom são auditadas para garantir a segurança e a conformidade legal e, com razão, estão cansadas de serem prejudicadas por empresas não certificadas que usam práticas perigosas e produtos desonestos”.

Caso semelhante ocorreu na Romênia

No ano passado, descobriu-se que o fluido “R134a” ilegal encontrado em uma oficina de automóveis na Romênia continha misturas de R22, hidrocarbonetos e outros gases desconhecidos. Um dos cilindros de “R134a” continha na verdade apenas 1,3% de R134a. O restante do conteúdo era predominantemente de R22 (96%) e o restante de um tipo de hidrocarboneto. Já outro cilindro também aprendido era quase 86% de hidrocarboneto inflamável, com apenas 13% de R134a e o restante ar.

Leia mais:
Saiba tudo sobre a mudança do R-134a para R-1234yf no ar condicionado de automóveis

Comente abaixo o que você achou desses casos. Conhece alguma história parecida? Comente abaixo. Até mais.