Por Yuri Correa,
Redação WebArCondicionado

Ah, o Natal! As árvores se iluminam, os presentes se empacotam e a neve já começa a cair… Espera, neve!? Estamos no Brasil! Apesar do verão intenso, o brasileiro, assim como muita gente ao redor do mundo, ainda tem uma imagem natalina cheia de paisagens nevadas e com o Papai Noel todo entrouxado de roupa. Mas não é bem assim, não é?

Hoje vamos dar a volta ao mundo e descobrir como é o clima do Natal pelo globo. Onde faz calor? Onde faz frio? Onde, de fato, cai neve? Onde o Natal é o maior acontecimento do ano? E onde será que o Natal é proibido de ser comemorado? Vamos te mostrar como encontrar ou fugir do Natal pelos cinco continentes!

E que tal a gente começar pelo lugar onde nasceu o Natal?

Como é o clima do Natal na Europa?

A Europa é a terra da neve. O Velho Mundo, com suas antiguidades e cidades anciãs, é todo carregado de História. Muito do que sabemos sobre o Natal começou neste cenário europeu nevado e cheio de pinheiros: o Bom-Velhinho, os Duendes, presentes, trenó e renas. 

Além disso, diferente do Brasil, os europeus comemoram o Natal só a partir da manhã do dia 25, e não esperam acordados a virada da meia-noite, como é normal por aqui. 

Em alguns países como a Inglaterra e a Irlanda, o dia 26 é feriado também, chamado de Dia da Boa-Vontade, pois ele serve para que as famílias doem as sobras de Natal para pessoas carentes.

Mas a coisa é, como que o Natal chegou na Europa?

Apesar disso tudo, o negócio começou mesmo foi em algum lugar lá no Oriente Médio, no meio do deserto, com Jesus Cristo

O curioso é que, hoje, essa parte do mundo é lembrada por muitas coisas, mas não pelo cristianismo e muito menos pelo Natal, mas vamos chegar lá depois.

Uma festa Cristã

Bom, todo mundo sabe que o Natal é um feriado cristão. E as festividades natalinas começaram na Itália quando os romanos estavam tentando unificar seus territórios sob uma única religião. Como o cristianismo tinha estourado alguns séculos antes com a morte de seu messias, essa foi a corrente escolhida. 

Estamos resumindo, é tudo um pouco mais complexo, ok?

O resultado foi esse: era preciso escolher uma data para comemorar o nascimento de Jesus, e os romanos acabaram escolhendo o dia 25 de dezembro, que marcava o início do inverno. Isso ocorreu porque a data era conhecida por muitos povos.

O 25 de dezembro rodou muito antes de chegar em Roma. Essa data já foi importante para os persas, para a sociedade egípcia e apenas depois de 7 mil anos passando de mão em mão é que ela se tornou o aniversário de Cristo.

Com a data definida, o Natal passou a ser associado, então, com o inverno europeu, e daí absorveu as suas tradições. Em quase todos os países da Europa, dezembro é sinal de neve e muito frio. Portanto, se é um Natal bem tradicional que você quer, é na Europa que você vai encontrar.

E o Natal na América?

As coisas no Novo Mundo são um pouco diferente. O continente americano é dividido no meio, não só geograficamente, mas culturalmente também.

E embora muitos países da América tenham grandes comunidades de outras crenças diferentes da Cristã, como o judaísmo e as religiões de matriz africana, o Natal é bem aceito em todo o território americano, com um viés comercial fortíssimo que corre o eixo de Norte a Sul.

Mas o que nos interessa é o clima, e como a extensão territorial desse continente vai de um pólo a outro do planeta, todas as faixas climáticas atravessam seus países. O que quer dizer que, na América, quando é inverno num lugar, é verão no outro.

O Natal na América do Norte

Em dezembro, a estação fria atinge o hemisfério norte do planeta, então são os Estados Unidos e o Canadá que ficam, na maior parte, branquinhos de neve e com as paisagens tradicionais de Natal – a não ser que você esteja ali pela Califórnia, Flórida e outros estados do Sul dos EUA, onde é verão sempre por causa da proximidade com a linha do Equador.

Por lá, o Natal também é comemorado só a partir do dia 25. E claro, por causa dos cenários, o Natal toma conta dos EUA e do Canadá. 

Além disso, é nos Estados Unidos que fica o centro de produção de Cinema mais popular do mundo, logo, o que o resto do planeta entende como Natal, provavelmente foi construído por algum filme de Hollywood.

E na América Latina?

Enquanto isso, do México para baixo é certeiro encontrar calor. O nosso Papai Noel deve usar uma bermuda, os duendes devem trabalhar com ar-condicionado e ao invés de renas, acho que temos cavalos ou até mesmo umas lhamas mágicas para puxar a carruagem – porque aqui o trenó não iria andar.

Nos países da América Latina, ainda gravemente marcados pela colonização estrangeira, o Natal é muito mais uma data comercial. Por isso, apesar do calor, em dezembro se encontra com facilidade decoração europeias de Natal por aí, como as guirlandas, bonecos de Papai Noel com roupas pesadas e touca, e por aí vai.

O Natal na África

O continente africano é outro continente muito longo de Norte a Sul, porém, somente no Sul do país é que se registram temperaturas mais baixas. Já o norte da África as temperaturas sobem e muito, pois é uma região tomada por desertos como o do Saara, famoso por ser o mais quente do mundo.

De forma geral, apesar da sua riqueza e diversidade cultural, os países africanos são marcados até hoje por desigualdades sociais e pela pobreza herdados dos séculos de escravidão e exploração colonial. Uma triste realidade causada por países que, na maioria, são de religiões cristãs.

Calor e herança colonial

Apenas os países mais ao Sul, como a África do Sul e Moçambique, registram comemorações mais visíveis do Natal. Lembre-se de que a África do Sul foi um país marcado pelos horrores do Apartheid – uma segregação racial que dividiu brancos e negros, tirando desses últimos a condição de cidadãos de 1948 até 1994.

Por isso existe uma grande parcela de cidadãos brancos na África do Sul, e tradições cristãs como o Natal ainda podem ser encontradas por lá. Em dezembro é verão no país e as temperaturas são quentes para comemorar as festividades natalinas, e tal qual na Inglaterra e na Irlanda, o dia 26 de dezembro também é um feriado dedicado à distribuição de sobras para as famílias carentes.

Sem espaço para o Natal na Ásia

O continente asiático é o mais diverso do mundo. Tanto na cultura quanto no clima. Lá você vai das paisagens congeladas e cobertas de neve da Rússia, passa pelas temperaturas tropicais da Índia e pode chegar ao extremo oposto com os desertos do Oriente Médio.

Já culturalmente, o Natal tem bem pouco espaço nesse continente. Do Oriente Médio para o leste, as religiões dominantes são o Islamismo, o Judaísmo e o Budismo, dentre outras. 

São povos que, no geral, tiveram contato com o cristianismo e, por um motivo ou outro, respeitam a figura de Jesus Cristo, mas não consideram o 25 de dezembro uma comemoração. 

Os países, Islâmicos, por exemplo, como o Egito (que ainda conta como África), Indonésia e Paquistão, não consideram a data sagrada, apesar de reconhecer Cristo como uma peça importante da sua religião também.

O budismo, presente na China, Japão e Coreia do Sul, por exemplo, também respeita a data, mas não a reconhece como feriado. Aliás, é sorte que um país como o Japão ainda permita que o Natal seja comemorado, já que, historicamente, os japoneses revidaram com violência as tentativas de colonização cristã.

Papai Noel barrado na festa

Existem países com grande aversão cristã que ou proíbem ou desencorajam com força a comemoração do Natal. A Coreia do Norte é um exemplo de país onde essa comemoração não é permitida.

Já na China o Natal é permitido, mas não é visto com bons olhos pelo governo. Diferente de países como o Tajiquistão e Brunei, onde símbolos natalinos como árvores, enfeites e o Papai Noel foram banidos, apesar de o Natal em si não.

O Natal atrasado da Rússia

Agora, se você quer uma experiência natalina única, a Rússia é o lugar para conhecer. Mas não adianta aparecer por lá no dia 25 de dezembro, já que o Natal só é comemorado lá no dia 7 de janeiro. Isso acontece porque lá eles levam em conta o calendário juliano, e não o calendário gregoriano, como é o nosso aqui na América, por exemplo.

A tradição cristã existe na Rússia graças à Igreja Ortodoxa Russa, e se você for visitar o país nessa época, vai poder curtir o Natal com muito frio e muita neve, já que estamos falando quase do pólo norte do planeta Terra e em pleno inverno.

A Oceania em festa

Alguns países da Oceania ainda se encaixam em costumes asiáticos e portanto passam longe do Natal, não por aversão ao cristianismo, mas por causa da herança cultural de povos nativos. 

Porém, na Austrália, o país mais famoso desse continente, as tradições são bem similares às nossas, até mesmo por causa da colonização, massivamente britânica. Portanto, os mesmos costumes natalinos encontrados na Inglaterra, são vistos por lá também – mas a temperatura é bem diferente, em dezembro é verão na Austrália, e estamos falando de um país com um dos desertos mais mortíferos do mundo.

Então não espere neve em terras australianas.

As renas mágicas chegam na Antártida?

A Antártida é o local mais frio da Terra. Localizado no pólo sul do planeta, esse continente não possuí países e nem pertence a nenhum país específico. Seu território é dividido em áreas de pesquisa exploradas por essa ou aquela nação. 

Basicamente, a Antártida é um local de ciência e exploração. As bases científicas instaladas por lá, normalmente são habitadas por pessoas de diversos lugares do mundo ou por uma grande equipe de um único país.

Nas bases compartilhadas, o clima de comunidade permite que cada um comemore o que quiser, enquanto naquelas dominados por um ou outro país, seguem-se os costumes desse lugar.

E aí, escolheu o lugar do mundo com o melhor clima e tradições para passar o Natal? Conte para gente onde você gostaria de passar o 25 de dezembro esse ano!