Por Yuri Correa,
Redação do Portal WebArCondicionado

A sueca Greta Thunberg discursando no painel de ação climática da ONU

Com apenas 16 anos de idade, a menina Greta Thunberg foi convidada para falar no painel de ação climática da ONU este ano. Sua expressão fechada e intimidadora se popularizou nas redes sociais nos últimos dias que antecederam o seu inflamado discurso na sede das Nações Unidas em Nova York. Mas você sabe quem é a Greta e porque ela ganhou esse destaque todo?

Uma jovem com uma infância incomum

Nascida na Suécia em 2003, Greta vem de uma família de artistas. Sua mãe é cantora de ópera, seu pai é ator e seu avô era diretor teatral. A garota também não passou por uma infância comum, ela foi diagnosticada com Síndrome de Aspenger, que dificulta interações sociais, com Transtorno de Déficit de Atenção Hiperativa e Transtorno Compulsivo-Obsessivo.

Depois que incêndios florestais foram provocados na Suécia por ondas de calor e o tempo seco, a adolescente se revoltou com a falta de atitude do seu governo e começou a faltar aulas para protestar em frente ao parlamento sueco, em Estocolmo, onde vive. Essas características climáticas são resultado do Aquecimento Global, e a jovem pedia por diminuições nas emissões de carbono da Suécia.

Só ela e um cartaz 

Seu protesto começou no dia 20 de agosto de 2018 e a ideia era que durasse até o dia 9 de setembro, quando aconteceram as eleições gerais no país. Com um cartaz que dizia “Greves Escolares pelo Clima”, Greta sentou-se nas escadarias em frente com parlamento todos os dias, mas mesmo depois das eleições ela continuou a frequentar o local nas sextas-feiras. 

O primeiro ministro Scott Morrison fez algumas tentativas midiáticas de abafar o caso e contrariar a jovem Greta. Porém, tudo o que ele conseguiu foi chamar a atenção para a causa da garota. Seu protesto acabou inspirando outras pessoas e gerando o movimento Greve das Escolas pelo Clima.

Depois disso ela começou a se engajar nas redes sociais e participou de eventos e atos pelo clima na Europa. Recentemente ela foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz, que será entregue até outubro de 2019. E no último dia 23, segunda-feira, ela discursou no painel de ação climática da ONU, durante o qual expressou sua revolta contra o que chamou de “traição” dessa geração de líderes mundiais por pensarem demais em expansão econômica e não nas consequências que isso vai deixar para as futuras gerações.

Greta chamou os líderes mundiais de imaturos demais para admitir os números desconfortáveis que anunciam o Aquecimento Global. Ela criticou o cálculo de apenas 15% de risco para desastres climáticos, no qual se baseiam muitos líderes para refutar as medidas contra o Aquecimento Global e o Efeito Estufa.

A jovem ativista alertou que esse número desconsidera muitos fatores e ainda leva em conta, por exemplo, tecnologias que mal-existem hoje, como purificadores de ar que precisariam filtrar toneladas de ar atmosférico, algo que, mesmo se fosse viabilizado cientificamente, com certeza não sairia barato.

E você, acha que as ações de Greta podem gerar um impacto positivo contra o Aquecimento Global?