Material usado para pintar paredes pode resfriar ambientes internos
inta elimina necessidade de ar-condicionado

Tinta criada nos Estados Unidos elimina necessidade de ar-condicionado./Imagem: Purdue University photo/Jared Pike

Com o objetivo de criar uma alternativa para combater o aquecimento global, um grupo de cientistas criou a tinta mais branca do mundo. O material tem capacidade para refletir 98,1% da radiação solar e emite calor infravermelho.

Criada no laboratório da Universidade de Purdue, em Indiana, nos Estados Unidos, a tinta super branca elimina a necessidade de ar-condicionado. Para climatizar os ambientes, ela absorve menos calor do que emite.

Assim, os espaços ficarão com as temperaturas menores, o que pode diminuir o uso de ar-condicionado nesses cômodos. Como o equipamento de climatização consome muita energia, a nova tinta super branca deve auxiliar na redução do consumo de energia.

Em matéria da revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios, Xiulin Ruan, um dos pesquisadores, descreve que a tinta super branca usada em um telhado de 300 metros quadrados, deve levar a potência de resfriamento de 10 quilowatts.

Para efeito de comparação, a criação da universidade americana é superior à de outras tintas reflexivas. Geralmente as existentes tem capacidade de refletir de 80% a 90% da luz solar e são incapazes de deixar as superfícies mais frias do que o ambiente.

A tinta capaz de diminuir a necessidade de ar-condicionado tem grande concentração de Sulfato de Bário. Comum em papel fotográfico e em cosméticos, o composto químico tem diferentes tamanhos de partículas.

Uma curiosidade é a entrada na última edição do Guinness World Records, por ser a tinta mais branca já criada. O próximo passo é fazer parcerias com fabricantes para comercializar o material no mercado, conforme noticiou o jornal estadunidense USA Today.

Redação WebArCondicionado – Com informações de Pequenas Empresas e Grandes Negócios