Atualizado em 01/12/2020

Redação WebArCondicionado

Você conhece a cobertura verde? É um tipo de telhado ou laje de uma edificação coberto por gramíneas ou outras plantas. Além de ajudar no paisagismo, o telhado verde também funciona como isolante térmico. Chega inclusive a reduzir a temperatura interna da casa (ou do último andar do prédio), ajudando na economia com a climatização do ambiente por conta do menor uso do ar-condicionado.

Se forem instalados em várias construções de uma vizinhança, os telhados verdes ajudam ainda a diminuir os efeitos das ilhas de calor, comum nos grandes centros urbanos. Isso porque a falta de vegetação e a impermeabilização do solo com asfalto e concreto geram uma zona de temperaturas mais altas.

Como é feito um telhado verde?

Dá pra plantar uma cobertura verde em qualquer tipo de edificação, desde que se faça uma preparação prévia do telhado.

Uma estrutura comum de uma cobertura verde costuma ter essas camadas, de cima para baixo:

– terra e vegetação;
– membrana de proteção contra raízes (para controlar o crescimento de raízes e evitar problemas como rachaduras);
– camada drenante e camada filtrante;
– camada impermeabilizante (para proteger a laje contra infiltrações).

Benefícios da cobertura verde

Além do paisagismo para o imóvel, o telhado verde traz vários outros benefícios. A diminuição da variação térmica é a principal, já que gera economia de energia nos sistemas de aquecimento e refrigeração.

Para todo o entorno do imóvel, a cobertura verde é uma contribuição também para melhorar a qualidade do ar e para reter e limpar a água da chuva, reduzindo riscos de alagamentos locais.

Outro ponto é que os jardins suspensos podem ser usados também como hortas suspensas, o que é uma grande vantagem pra quem não tem horta em casa por falta de espaço.

Incentivos

Quem lidera o uso de telhados verdes são grandes imóveis de empresas. Mas a tendência é que esse recurso se espalhe mais por edificações residenciais.

Várias cidades do Brasil já têm legislação com incentivos fiscais (o chamado “IPTU verde”) para práticas como essa, voltadas à sustentabilidade ambiental.