Equipamento terá impacto ambiental cinco vezes menor comparado aos equipamentos mais convencionais.

Ar condicionado

Ar-condicionado convencionais utilizados hoje em dia.

Projetado pela Transaera, o ar-condicionado mais amigável ao meio ambiente irá utilizar material específico para absorver a umidade do ar. A startup faz uso de materiais altamente porosos chamados estruturas de metal orgânico, na sliga MOFs, que absorvem a umidade do ar quando a máquina funciona.

De acordo com Mircea Dincă, um dos fundadores da startup e professor de Energia no Departamento de Química do MIT (Massachusetts Institute of Technology), “os MOFs têm muitas aplicações em potencial, mas ainda há uma barreira econômica e consequentemente de escala. Pretendemos ser a primeira a comercializar MOFs em grande escala e liderar o avanço que leva os MOFs ao domínio público”.

A solução de resfriamento foi projetada para operar um ar-condicionado residencial de alta eficiência em paralelo com uma bateria de armazenamento de umidade para fornecer resfriamento e desumidificação, usando menos energia.

Ao separar os processos de controle de temperatura e umidade, o ar-condicionado tem potencial de reduzir o consumo de energia significativamente, proporcionando o nível de conforto desejado. O ar úmido é difícil de resfriar pela grande quantidade de vapor de água no ar. A bateria de armazenamento de umidade (MSB) da Transaera, composta por um novo material dessecante, tem a capacidade de absorver uma grande quantidade de umidade, permitindo que o ar ambiente se desumidifique.

Conheça mais sobre a Transaera

Transaera

Empresa é uma das finalistas da Global Cooling Prize, competição global para redesenhar o clássico ar-condicionado.

A Transaera é uma startup de fabricação do Massachusetts Institute of Technology (MIT), Estados Unidos, fundada em 2018, e está colaborando com a Qingdao Haier Air Conditioner Gen Corp. Ltd para desenvolver uma solução de resfriamento híbrida com tecnologia de desumidificação dessecante baseada em novos materiais descobertos no MIT para resolver o desafio de refrigeração.

A empresa é atualmente uma das finalistas da Global Cooling Prize, competição global para redesenhar o clássico ar-condicionado – o vencedor receberá US$ 1 milhão para seu projeto.

Redação WebArCondicionado