Redação WebArCondicionado

Atualizado em 03/02/2021

Sistema Capote. Foto: Fassa Bortolo

O Sistema Capote (também chamado de Capoto) é uma técnica encontrada na arquitetura e engenharia que serve para isolar paredes de residências e prédios. O método garante a temperatura ideal no inverno e verão, já que condiciona o comportamento térmico do local pela parte externa da estrutura. O capote ainda previne problemas como umidade, bolor e qualquer outra infiltração.

O isolamento através do sistema capote pode ser realizado utilizando placas de diversos materiais, como poliestireno expandido (EPS), EPS com grafite, placa em lã de rocha (produzida mediante fusão e interligação de fibras de materiais minerais), placa em cortiça, em poliestireno extrudido (material semelhante ao plástico), entre outros.

Fases de aplicação do Sistema Capote

As instalações do Sistema Capote podem conter mais ou menos itens que ajudarão no isolamento, isso vai depender da empresa que está instalando e do serviço contratado pelo cliente. Em consulta a uma empresa portuguesa famosa pela instalação do Sistema Capote em edifícios, essa seria a ordem dos itens de instalação em um serviço de qualidade:

1 – Suporte
2 – Reboco
3 – Argamassa Fibrada/100
4 – Isolante
5 – Pregos de fixação
6 – Argamassa Fibrada/100
7 – Rede reforçada
8 – Argamassa Fibrada/100
9 – Primário Texturado
10 – Revestimento espesso

Sistema Capote e o uso de condicionadores de ar

A vantagem de isolamentos térmicos, como o Sistema Capote, é a economia em ar-condicionado, já que o aparelho climatizará os ambientes contando com uma interferência externa menor e isso resultará na economia de energia. Como dissemos, o sistema impede as fugas de calor (ou frio) e no verão reduz o sobreaquecimento interior, facilitando o equilíbrio térmico e a economia de energia do ar-condicionado.

Estima-se que o sistema contribui para a redução da conta de energia eléctrica em aquecimento e arrefecimento em até 30%.

 

Um adequado isolamento dos edifícios, por exemplo, permite diminuir a dispersão térmica durante a estação fria e consequentemente obtém-se uma considerável poupança energética no aquecimento dos locais. No Brasil, o sistema ainda é pouco utilizado, sendo mais comum na Europa, principalmente em Portugal e Espanha.

Como o aplicar o sistema capote

 

Arranque

Arranque: Antes de aplicar as placas, é necessário montar os perfis de arranque, que determinarão a altura do rodapé.

Preparação do fundo

Preparação do fundo: O perfil deve estar limpo, sem poeira ou qualquer tipo de sujeira. É necessário estar plano e qualquer saliência maior que um centímetro deve ser retirada. Paredes com pinturas de baixo poder de adesão e superfícies esmaltadas, por exemplo, devem ser retiradas. Uma sugestão é que a ação pode ser realizada com jato de areia.

Aplicação

Aplicação: Chegou a hora de aplicar o cimento cola e a placa também precisa estar totalmente plana. Caso ela apresente alguma irregularidade, que a superfície não esteja lisa, a aplicação deve ser por linhas e/ou pontos, mas sempre respeitando a regra de que pelo menos 40% da superfície total da placa deve ser colada.

 

Colocação da placa

Colocação da placa: O exemplo usado é o sistema capote com placas de EPS. As placas podem ser instaladas, estilo quebra-cabeça preenchendo os espaços.

.

Fixação

Fixação: O reforço na fixação ocorre através de furos para a colocação de buchas. O instalador deve esperar pelo menos um dia, para a fixação plena do cimento cola, para que depois os furos possam ser realizados.

Preenchimento das Juntas.

Preenchimento das juntas: As juntas devem ser preenchidas com material isolante especial. Jamais utilize cimento cola para preencher os espaços entre as placas, pois isto anularia a eficácia da técnica.

.

Regularizador

Regularizador: Para realizar esse processo é necessário esperar, após a aplicação das placas, pelo menos dois dias no caso de tempo quente e seco ou uma semana no tempo frio e úmido. O regularizador é uma mistura de cimento cola pré-misturado seco à base de cimento portland, areias selecionadas e aditivos específicos para melhorar o trabalho e a aderência. São aplicados sobre as placas com espátula metálica deixando uma espessura entre 3 e 5mm.

.

Rede de armação

Rede de armação: O próximo passo é a rede de fibra de vidro. Partindo de cima para baixo, devendo ser sobreposta. Depois de seco, aplica-se uma segunda mão do regularizador em busca de uma superfície lisa e uniforme. Após a nova camada, a rede deve estar colocada no primeiro terço do material, partindo do exterior para o interior.

 

Suporte para o acabamento

Suporte para o acabamento: Antes de iniciar esse passo, é preciso esperar cinco dias da aplicação do regularizador ou após seu endurecimento total. Aplica-se a rolo ou pincel.

.

Acabamento/revestimento

Acabamento/revestimento: Existem vários materiais para finalizar o processo. Um exemplo é o revestimento em pasta, que pode ser composto por anti-bactericidas, fungicidas, anti-algas, pigmentos estáveis à luz e aditivos que permitem uma boa transpirabilidade da parede.

.

Dicas sobre o sistema capote

Sistema Capote. Foto: Fassa Bortolo– A aplicação do sistema capote deve ser efetuado com temperaturas entre 5 e 30 graus

– A superfície deve estar limpa, caso contrário deve-se proceder a remoção do pó e demais vestígios de sujeira

– É necessário verificar se o suporte está plano e eventualmente remover qualquer desnível superior a 1 cm

– A presença de pinturas velhas ou qualquer outra cor forte, faz com que ela deva ser removida por completo antes de iniciar o processo.

– Caso o revestimento prévio seja em cerâmica, devem ser removidas as que não apresentem aderência suficiente

– Em superfícies esmaltadas ou vidradas o processo também não funciona. A sugestão é uma lavagem com jato de areia.

-Este tipo de técnica necessita de um projeto realizado por um profissional habilitado.