Redação WebArcondicionado, com informações dos sites Tecnoblog e Carrier.

 

 

O calor que tomou conta de boa parte do País no início de outubro fez muita gente se virar para se refrescar. Uma destas alternativas foi fazer o ar-condicionado trabalhar. Mas já parou para se perguntar quem inventou essa maravilha? Chegou hora de saber.

O ar-condicionado foi inventado em 1902, por Willis Carrier, um engenheiro elétrico americano que mais tarde seria intitulado como o “pai do ar-condicionado”. Na época ele tinha 25 anos e trabalhava em uma empresa chamada Buffalo Forge, que fabricava aquecedores e diversos elementos para o trabalho com o ar. Era encarregado do departamento de engenharia experimental e foi lá que onde projetou seu primeiro ar-condicionado.

No verão do mesmo ano, Willis Carrier ligou o motor que conduziria o primeiro sistema de ar-condicionado moderno do mundo. Foi instalado na fábrica de impressão Sackett & Wilhelms no Brooklyn, em Nova York, após chegar-se a conclusão que o equipamento deveria realizar quatro funções básicas: controle da temperatura; da umidade; da circulação de ar e ventilação; e a purificação do ar. Vale reforçar que são as mesmas dos aparelhos atuais.

Em 1906, ele e outras seis pessoas fundaram a Carrier Engineering Corporation, empresa que permanece até hoje como uma das principais marcas mundiais de ar-condicionado. Começando com um investimento de pouco mais de 30 mil dólares, conseguiu exportar sua ideia para o mundo.

No início do século 20, somente pessoas muito ricas tinham condições de comprar o sistema de refrigeração e apenas em 1940 ele foi aperfeiçoado para o uso doméstico. A invenção demorou a se popularizar porque na época não se percebia o real potencial daquelas máquinas de ar frio. A primeira aplicação residencial foi feita em uma mansão de Minneapolis, Estados Unidos, em 1914.

Willis Carrier faleceu em 1950, mas deixou um legado, pois hoje é difícil imaginar a vida sem o ar-condicionado, que está presente em casa, no carro, no transporte coletivo, hospitais, shoppings, cinemas, supermercados e em outros tantos lugares que qualquer pessoa frequenta no dia a dia.