Redação WebArCondicionado com informações dos portais Auto Esporte e Quatro Rodas.

O ar-condicionado é um acessório presente em 97% dos veículos novos vendidos no Brasil, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Mas, nem sempre foi assim. Até o final da década de 90, início dos anos 2000, ter ar-condicionado no carro era bem menos comum do que é agora e isso se explica por ser um item relativamente novo, que circula há apenas 54 anos pelas ruas e estradas brasileiras.

Embora a tecnologia já fizesse parte da rotina dos norteamericanos desde 1939, somente em 1966 o Brasil foi fabricar seu primeiro carro com ar-condicionado. A limusine nacional Willys Itamaraty Executivo foi criada para cativar um público disposto a pagar por um acabamento interno mais luxuoso e inúmeros itens de conforto, inclusive climatização. A exclusividade era tamanha, que o veículo era produzido somente sob encomenda.

Como era o ar-condicionado para carros?

Os primeiros climatizadores automotivos eram tão grandes, que parte do sistema era instalada no porta-malas, enquanto os ventiladores extras ficavam posicionados à parte abaixo do painel.

Claro que com o tempo, tudo se modernizou, mas vale ressaltar que o funcionamento é o mesmo há mais de 80 anos. Nas últimas décadas as principais melhorias envolveram a troca do gás, para combater o buraco na camada de ozônio, e o uso de compressores variáveis, que reduzem o consumo de combustível.