Associação norueguesa de refrigeração e ar condicionado alertou seus membros que restringir per e polifluor alquila sinalizam para o fim dos refrigerantes sintéticos na Europa
Movimento europeu extinguir gases fluorados

Movimento europeu deseja extinguir gases fluorados.

Em julho, Alemanha, Dinamarca. Holanda, Noruega e Suécia apresentaram proposta de restrição conjunta sob os regulamentos REACH para substâncias alquila, per e polifluoradas à Agência Europeia de Produtos Químicos.

O Regulamento REACH é relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos. Os fabricantes e fornecedores devem disponibilizar, ao longo da cadeia de abastecimento, informações sobre os riscos gerados pelas substâncias e as formas de os combater.

A proposição dos países europeus incluir qualquer substância que tenha grupo CF2 ou CF3 – propriedades compartilhadas por refrigerantes HFC e HFO. Com a incorporação nos regulamentos REACH, as substâncias estariam sujeitas a regras mais rígidas de registro e de uso.

A partir dessas restrições, o movimento europeu, formado por aqueles cinco países, deseja extinguir os gases fluorados. Enquanto a maioria da indústria permanece calada, Espen Rønning escreveu no site da associação norueguesa de refrigeração e ar condicionado, na qual é presidente, que as autoridades daqueles cinco países pretende restringir o uso de refrigerantes sintéticos.

A entidade afirma que em reunião para revisar o regulamento, um dos líderes do Ministério do Meio Ambiente citou que para a União Europeia atingir seus objetivos climáticos até 2050, o uso do gás fluorado deve ser eliminado.

Gases fluorados no Brasil

Estima-se que no Brasil mais de 95% dos fluidos utilizados no segmento sejam fluorados. Na climatização, eles se dividem em hidroclorofluorcarbono (HCFC), hidrofluorcarbono (HFC) e hidrofluorolefinas (HFO).

Considerado a nova geração dos fluidos refrigerantes, o hidrofluorolefina (HFO) apresenta características ambientais superiores aos HCFCs e HFCs, pois não possui potencial de degradação da camada de ozônio e seu potencial de aquecimento (GWP) é mais baixo.

Porém, se for confirmada a tendência apontada na Europa, os dias do HFO podem estar contados antes mesmo de emplacar no mercado. Agora, nos resta aguardar como funcionará o movimento iniciado no velho continente.

Redação WebArCondicionado