Redação WebArCondicionado

Com a queda do número de novos casos e com os devidos cuidados obrigatórios, várias atividades no país que estavam paradas por conta da pandemia estão sendo retomadas. Serviços não essenciais seguem com flexibilização das restrições, como a ampliação gradual de horários de funcionamento.

Para a retomada segura de alguns serviços, uma das preocupações é o ar-condicionado. Os decretos estaduais e municipais obrigam, além do uso de máscara e do distanciamento mínimo, a limpeza dos aparelhos de ar-condicionado em estabelecimentos com climatização.

O que dizem os protocolos de reabertura sobre o ar-condicionado?

Salas de teatro e cinema, por exemplo, já podem reabrir no DF e na cidade do Rio de Janeiro. Os estabelecimentos são obrigados a fazer a higienização das poltronas a cada sessão e, também, garantir a limpeza do ar-condicionado.

Todas as regiões do Estado de São Paulo entraram na “fase amarela”, o que permite a reabertura dos salões de bares e de restaurantes, dos cabeleireiros e barbearias e das academias em todas as cidades do Estado. O protocolo de flexibilização de SP ressalta que é preciso, em caso de ambiente climatizado, fazer “a manutenção dos aparelhos de ar-condicionado, inclusive filtros e dutos, observando as prescrições das autoridades sanitárias”.

Outro exemplo, ainda, é a cidade de Vitória (ES), que permitiu que os ônibus com ar-condicionado voltassem a circular – estavam suspensos desde março. O documento da prefeitura de Vitória indica que os veículos sejam ligados no modo “renovação de ar”, ou que utilizem outras tecnologias para garantir a segurança sanitária.

Porque a limpeza do ar-condicionado é tão necessária?

Como lembra a ABRAVA (Associação Brasileira de Ar Condicionado, Refrigeração, Ventilação e Aquecimento), a climatização de ambientes se tornou imprescindível. Ela garante o funcionamento de vários segmentos que atendem o público, como hospitais, supermercados e farmácias. Ambientes sem climatização, além de desconfortáveis podem ficar insalubres.

Por isso, o ar-condicionado não é um problema, e sim uma solução. Mas, como o vírus se propaga pelo ar por meio de gotículas suspensas, é preciso verificar todos os sistemas de renovação e tomada de ar externo, os filtros de ar, etc. Segundo a ABRAVA, a manutenção e limpeza dos aparelhos de ar-condicionado deve ser feita em ambientes em uso ou não – e sempre por profissionais habilitados para fazer o serviço.