Atualizado em 24/07/2019 por Yuri Correa
Redação do Portal WebArCondicionado

Estudo diz que o aquecimento global pode diminuir vontade de fazer sexoVocê já pensou que a temperatura pode influenciar na libido das pessoas? Pois é isso que um estudo está apontando.

Vamos entender o que diz a pesquisa e descobrir como reverter essa situação que não é nada boa para os casais, tendo em vista que a crise do Aquecimento Global não vai melhorar com tantos negacionistas por aí.

A temperatura subiu, mas a vontade não

Segundo um estudo realizado pelo Departamento Nacional de Pesquisa Econômica dos Estados Unidos, o Aquecimento Global é responsável pela redução da frequência da prática de sexo entre casais. Foi feita uma análise, cruzando os dados de temperatura e fertilidade durante um período de 80 anos nos EUA. De acordo com os pesquisadores, as taxas de natalidade diminuíram 9 ou 10 meses depois que os termômetros marcavam 26,6ºC.

Taxa de natalidade diminui

Além disso, um dia mais quente resulta em uma queda de 0,4% nas taxas de natalidade desse período, cerca de 1.165 partos a menos. Nos meses seguintes, a recuperação é comprovada, mas com apenas 32% de diferença. Por esse motivo, à medida que os verões vão ficando mais quentes, os países desenvolvidos podem ter uma redução nas taxas de natalidade.

A pesquisa, publicada no National Bureau of Economic Research, diz que as altas temperaturas, que podem chegar até 4,8º C a mais ainda neste século, segundo levantamento da ONU, diminuem a “frequência do coito”.

Se não fosse o ar-condicionado

Os estudiosos acreditam que a mudança climática continuará e, portanto, para que o problema seja amenizado, o ar-condicionado é a única saída. Segundo eles, o aparelho ajudou a compensar as perdas de fertilidade relacionadas ao calor nos Estados Unidos desde os anos 70.

Lembrando que esses aparelhos também auxiliam na limpeza do ar e no controle de umidade, fornecendo um ambiente mais saudável tanto para os casais se divertirem, quanto para os futuros bebês.