A Copa de 2014 promete ser uma das mais limpas da história da competição. O conceito de sustentabilidade será a marca da Copa de 2014, que acontecerá no Brasil. Por conta disso, o governo brasileiro está investindo em projetos e tecnologias que reduzam o consumo de energia nos estádios que vão receber os jogos. A proposta é que esses estádios atinjam o nível máximo da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), classificação para edifícios baseada em critérios de sustentabilidade.

Bons exemplos

A Arena da Baixada, estádio do Atlético Paranaense, possui um sistema de ar condicionado que gasta até 30% menos energia do que outros modelos convencionais. Isso é possível porque a parte externa do edifício é revestida com policarbonato, o que favorece a climatização dos espaços internos. A Arena da Baixada dispõe ainda de reservatórios de água que captam a água da chuva para o seu reaproveitamento nos banheiros do estádio.

Os arquitetos responsáveis pela reforma do estádio Mané Garrincha, em Brasília, têm a proposta de utliziar elementos de construção sustentável e, para isso, propuseram para a cobertura do estádio uma membrana revestida de dióxido de titânio que, em contato com a água da chuva, libera oxigênio na atmosfera, simulando o processo de fotossíntese.

No Mineirão, Belo Horizonte, haverá reaproveitamento de entulhos, instalação de painéis solares, reutilizaçãoo de água da chuva, iluminação mais eficiente para reduzir o consumo de eletricidade e reaproveitamento do calor do sistema de ar-condicionado para aquecimentos diversos. Veja, no vídeo abaixo, as iniciativas adotadas no Mineirão.

Fontes:Portal 2014 e Furacão.com