Atualizado por Yuri Correa em 16/12/2019
Redação do Portal WebArCondicionado

Enquanto aqui no Brasil é inverno, nos países do hemisfério norte a estação é exatamente a oposta, por lá é verão. Só que, diferente dos brasileiros, o pessoal do hemisfério norte não tá acostumado com verões tão quentes, afinal, o inverno lá é mais definidinho e muitos dos habitantes dessas partes do planeta adoram a neve e tudo mais.

Então, para os que querem escapar das temperaturas mais altas, a saída é tomar bastante água e ficar próximo de lugares mais fresquinhos. E foi pensando nisso que estadunidenses e japoneses já levaram essa ideia ao pé da letra e construíram bares feitos de gelo! São experiências temporárias, mas que volta e meia viram atração por aí, confere:

Bar de gelo em Nova York

Apesar de hoje já estar fechado, a experiência do bar de gelo se chamava Minus 5, e ficava dentro do Hotel Hilton, na Sexta Avenida em Nova York. Quando aberto, o bar era assim:

Minus 5

  • Disponibilizava para o cliente luvas de esquimó, casacos pesados e botas;
  • O Minus 5 foi construído com cerca de 90 toneladas de gelo e era mantido a -5ºC;
  • O local era planejado para abrigar 55 pessoas simultaneamente e a decoração era trocada a cada 6 semanas;
  • O gelo é produzido no Canadá;
  • O bar oferecia espaço para happy hour, festas de despedidas e demais eventos particulares;
  • A entrada era gratuita, porém era necessário fazer consumo de alguma bebida dentro do bar;
  • Os preços dos drinks eram altos, variavam em torno dos U$ 120,00 a U$ 300,00 cada dose;
  • A bebida que predominava no bar era a vodka.

Em Tóquio 

Na capital japonesa não foi muito diferente dos Estados Unidos e por lá surgiu o Tokyo Icebar, que fez parte de uma rede de hotéis famosa na cidade que até já foi cenário de um filme do 007, Um Novo Dia Para Morrer. Infelizmente, esse empreendimento também já fechou.

Tokyo Icebar

  • Os frequentadores do Tokyo Icebar recebiam roupas padronizadas para suportar as temperaturas abaixo dos -5ºC;
  • O bar existia de desde 2006 e, até o último levantamento de 2013, recebia cerca de 180 pessoas por dia.
  • Quem visitava o local podia ver belas esculturas e paredes formadas por blocos gelados.
  • Todo o gelo vinha da Suécia;
  • Além da arquitetura, o bar proporcionava copos e pratos de gelo – descartáveis, por causa do derretimento;
  • Todo o bar era refeito a cada 6 meses, incluindo todos os móveis;
  • A bebida que predominava no local era a vodka – era utilizada apenas a marca Absolut, que foi uma das patrocinadoras do local;
  • Cada visitante não poderia ficar mais de 45 minutos no ambiente, e isso também vale para quem trabalhava dentro do bar – para isso, uma equipe ficava se revezando a cada uma hora – o recorde de uma pessoa que ficou mais tempo dentro do Tokyo Icebar foi de 3 horas, porém, o recordista saía a cada 20 minutos de dentro do local congelado;

Icebar no Brasil

Sim, a ideia chegou até mesmo aqui em território brasileiro. A iniciativa foi da Brasil Kirim em parceira com a rede de supermercados Zaffari, que em 2016 levaram ao Rio de Janeiro até Porto Alegre um bar de gelo itinerante com mais de 19 toneladas de gelo cristal. Além de ser todo feito de gelo, o bar trazia estátuas congeladas de monumentos famosos de cada lugar por onde passou, como Cristo Redentor e o laçador.

E aí, ficou tentado com a ideia de visitar um bar de gelo? Atualmente existe um bar muito semelhante a esses aberto e funcionando Gramado, no Rio Grande do Sul, o Ice Bar Brasil – não todo feito de gelo, mas a ideia é bem semelhante.