Diretoria tomou passe para o biênio 2021-2023

ASBRAV Diretoria da Sociedade de Engenharia do RS

ASBRAV participou da posse da diretoria da Sociedade de Engenharia do RS./Imagem: Reprodução ASBRAV

Em cerimônia realizada de forma virtual, a Sociedade de Engenharia do RS (SERGS) empossou, na noite de quarta-feira (30/06), o Engenheiro Walter Lídio Nunes como o novo presidente da entidade para o biênio 2021-2023. O evento contou com a participação do presidente da ASBRAV- Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento -, Luiz Alberto Hansen.

“Desejamos sucesso na gestão e colocamos a nossa entidade à disposição para construção de parcerias e ações visando sempre o desenvolvimento econômico e social”, afirmou Hansen.

A nova diretoria é composta ainda pelos vice-presidentes José Paulo Grings e Moacir Kwitko, além de 25 membros do Conselho Deliberativo e 5 do Conselho Fiscal da entidade, para o triênio 2021-2024.

“Nosso compromisso é apoiar de forma mobilizada toda e qualquer iniciativa, seja pública ou privada, que possa contribuir para o desenvolvimento dos processos da sociedade e da economia”, afirmou o novo presidente da Sociedade de Engenharia do RS, Walter Lídio Nunes.

O evento foi transmitido pelo canal do Youtube da SERGS, e teve a participação online de autoridades dos poderes legislativo, executivo e judiciário do Rio Grande do Sul, além de autoridades federais, entre elas a presidente do CREA-RS, Eng. Ambiental Nanci Walter.

Encerrando seu mandato, o Eng. Luis Roberto Ponte, agradeceu a todas autoridades que estavam prestigiando a cerimônia virtual, assim como a todos que o ajudaram a viabilizar as ações da SERGS, pelos dois mandatos que ficou à frente da entidade, inclusive aos funcionários, colegas de diretoria e dos conselhos, afiliados, entre outros.

“A relevância da SERGS advém imensidão de cérebros dignos e capacitados que mobiliza voluntariamente com um simples convite, porque é uma entidade sem corporativismo, rica de respeito e possuidora de patrimônio inestimável, e que, sendo pobre de recursos materiais, inibe a aproximação de quem busque apenas interesses menores. À medida que essa percepção se expande, os governantes contarão cada vez mais com esse precioso mecanismo para obter confiáveis pareceres e esclarecimentos da opinião pública, a fim de ajudá-los na definição e aprovação de projetos justos”, citou Ponte.

Com informações da ASBRAV