Redação Webarcondicionado com informações do Jornal da Paraíba

 

Um estudo realizado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) entre 2018 e 2020 apontou que a água gerada por aparelhos de ar condicionado pode ser reaproveitada para fins não potáveis, ou seja, lavagem de pisos, bacias sanitárias e regas de área verdes.

A coleta da água se deu por meio de equipamentos de climatização instalados na instituição, situada em João Pessoa. E os pesquisadores observaram que cor, turbidez, pH, condutividade e sólidos totais solvidos estão todos em conformidade com a NBR 16.783/2019, a norma pertinente às fontes alternativas de água, e também com os padrões estabelecidos na legislação referente à potabilidade da água.

A análise microbiológica da água dos aparelhos de ar condicionado mostrou ainda que a presença de coliformes está abaixo dos limites permitidos pela norma citada anteriormente. Isso quer dizer que com um simples tratamento, filtração e cloração, pode haver a possibilidade de conformidade quanto à qualidade da água.

Foi observado ainda que, quanto maior a potência dos aparelhos, maior tende a ser o volume gerado. Na análise realizada pela pesquisa, foram coletadas, por exemplo, vazões entre 0,20 e 6,81 L/h (Litro por hora), dos aparelhos de 7.500 e 80.000 BTUs/h, respectivamente.

Vale ressaltar que os aparelhos de ar condicionado usam processos bem similares ao das máquinas de condensação do ar e normalmente a água é desprezada e uma notícia como essa, em um mundo que necessita de novas alternativas para preservar os recursos naturais, representa um sinal de esperança.

Essa esperança já é realidade em Pernambuco por meio da Lei 16.584/19, que estabelece normas para o uso racional e reaproveitamento das águas nas edificações do Estado. Nos prédios privados acessíveis ao público e que são climatizados, por exemplo, a água condensada pelo sistema de ar-condicionado deverá ser captada e encaminhada para cisternas, caixas d´águas ou veículos apropriados e ser utilizada em atividades que não necessitem de água potável.

Em Recife, um shopping e uma grande loja de materiais de construção já reutilizam a água do ar-condicionado, evitando desperdício.