Atualizado em 11/08/2019 por Yuri Correa
Redação do Portal WebArCondicionado

O censo de 2011 dos Estados Unidos constatou que os norte-americanos estão mais pobres. Em 2010, cerca de 2,6 milhões de pessoas nos EUA passaram da classe média para a linha de pobreza. Mais de 46,2 milhões já são considerados pobres no país. Desde o começo da década, essa realidade mudou?

O levantamento estatístico mostrou que 2010 foi o terceiro ano consecutivo em que a taxa de pobreza aumentou (passou de 14,3% da população para 15,1%).

Outras estatísticas dos EUA

Uma pesquisa da Fundação Heritage, utilizando os dados levantados pelo próprio censo, aponta que, entre as famílias consideradas pobres nos EUA:

  • 80% têm ar-condicionado em casa;
  • 92% têm forno de micro-ondas;
  • Quase 75% têm pelo menos um carro;
  • Mais de 60% têm TV a cabo;
  • Mais da metade tem computador, e 43% têm acesso à internet;
  • 83% das famílias afirmam ter alimentos suficientes;
  • 42% delas são proprietárias das residências onde moram.

Embora os dados sejam antigos, a tendência que não tenham se alterado muito desde então. E pelo que se sabe, a pobreza estadunidense é diferente da pobreza brasileira.

Em comparação com o Brasil, segundo estimativas da Abrava (Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento) deste mesmo período, entre 15% e 18% das residências brasileiras possuíam ar-condicionado.

Os pobres nos EUA atualmente

Pesquisas levantadas em 2018 por ONGs independentes nos Estados Unidos, apresentam dados de mais de 140 milhões de pobres no país hoje. A atualização dos números, se for verídica, corresponde a cerca de quase três vezes mais pessoas abaixo da linha de pobreza do que tinha o país em 2010.