[ x ] Fechar

Considerações iniciais sobre sistemas VRF

  • 30 de janeiro de 2012
  • 2 Comentários

1 – Considerações iniciais sobre sistemas  VRF (Volume de Refrigerante Variável)

Como todos os sistemas VRF utilizam gás refrigerante HFC e óleo poliolester, são muito sensíveis à presença de umidade, tornando o valor final de vácuo 500 micron muito importante para operação dos compressores dos equipamentos a médio e longo prazo.

2 – Objetivo

Com estas informações, espero poder ajudar os instaladores a tomarem alguns cuidados necessários nas etapas de montagem das tubulações de cobre, testes de vazamento, execução do vácuo, processo de quebra de vácuo e complementação da carga de gás refrigerante.

3 – Armazenamento dos materiais

Esta etapa é muito importante para todo processo, pois os tubos de cobre não podem apresentar nenhum tipo de sujeira. Este processo inicia na compra dos materiais, observando-se as espessuras das paredes dos tubos, pois os sistemas VRF (410 A) trabalham com pressões elevadas e poderão gerar acidentes se as espessuras das paredes do tubos utilizados não forem as especificadas pelos fabricantes.
Estes tubos deverão chegar na obra tamponados, e devem ser mantidos em local limpo e seco. E no processo de transporte interno para montagem, manter sempre os tubos tamponados.

Tubos tamponados

Ao iniciar os serviços, deve-se retirar os tampões para executar os serviços de solda e, no término de cada jornada do trabalho, tamponar todos os tubos que ficaram abertos em campo para que a poeira não se acumule no interior dos mesmos.

Otto Rezende é engenheiro eletricista formado pela Universidade de Taubaté (UNITAU-SP) e trabalha com sistemas de ar condicionado VRF.

Contato: ottorezende@ig.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

2 Ideias sobre "Considerações iniciais sobre sistemas VRF"