[ x ] Fechar

Mais de 1 milhão de residências brasileiras terão energia solar até 2024

  • 08 de setembro de 2016
  • Nenhum Comentário

Mais de 1 milhão de residências brasileiras terão energia solar até 2024De acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), mais de 1 milhão de residências terão energia solar no Brasil até 2024. Hoje, apenas 4.432 utilizam o sistema fotovoltaico para geração de energia.

O alto custo de implementação do equipamento é o principal motivo pelo qual os brasileiros não estão investindo na mudança. A instalação de uma única placa, que abastece uma casa de até três cômodos e sem geladeira e ar-condicionado pode custar R$7,5 mil.

A economia é certa. A Clínica Oftalmológica Oftalmoclin, de Salvador, investiu R$78 mil na instalação do sistema de placas de captação de luz solar e conversores de energia elétrica em um espaço de 1,2 mil m² para 102 funcionários. A conta de luz já está 40% menor. “A conta era de R$ 9 mil. Agora, pagamos R$ 5 mil”, explica o gerente administrativo Alexandre Guerra.

Para especialistas é necessário que o governo invista, mas ainda não há nenhum plano de estímulo aos consumidores como já acontece em outros países. “Há um grande potencial de aproveitamento da energia solar em residências, mas o custo ainda é alto e o poder público tem que buscar meios de viabilizar a aquisição”, disse o professor de engenharia Luiz Antônio Azevedo dos Santos.

Sobre a energia elétrica gerada no Brasil

Segundo a Aneel, 60% da geração de energia gerada no Brasil vem de usinas hidrelétricas, e o Ministério de Minas e Energia prevê o esgotamento desse potencial aproximadamente ente 2025 e 2030. Por esse motivo a energia solar deve ser uma alternativa desde já.

Cosol – Condomínio Solar

O pesquisador húngaro, Csaba Sulyok, da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, está estudando a implantação do Cosol, um condomínio solar onde é possível comprar ou alugar lotes de placas fotovoltaicas, na Bahia “Já temos um terreno em vista, mas estamos fazendo crowdfunding (financiamento coletivo)”, diz Sulyok. Segundo ele, o valor do investimento inicial pode ser recuperado em cinco anos.

O Cosol funciona da seguinte forma: As placas podem ser posicionadas no telhado do prédio ou em uma casa, por exemplo. Mas no caso do prédio, é compartilhado para todos os apartamentos. É feito um acordo de compensação com a Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia) para a transferência de um ponto para o outro, antes de iniciar a produção. E ao consumir energia elétrica gerada pelas placas, a residência recebe desconto na conta de luz.

Desta forma, o consumidor não sofre as consequências das oscilações nas taxas de energia elétrica. Só neste ano, a Celba já aumentou em média cerca de 10,72% a tarifa.

Redação do Portal WebArCondicionado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *