[ x ] Fechar

Investimento sustentável: energias renováveis alcançam nível recorde no Brasil

  • 23 de dezembro de 2016
  • Nenhum Comentário

Uma pesquisa realizada pela Johnson Controls revelou que o interesse e o investimento em eficiência energética alcançaram nível recorde no Brasil e no mundo. O Indicador de Eficiência Energética foi realizado com mais de 1.200 executivos nos Estados Unidos, Brasil, China, Alemanha e Índia.

Energia sustentável promete crescer em 2017

O estudo apontou que no Brasil 82% dos entrevistados pretendem aumentar investimentos em eficiência energética e fontes de energia renováveis no próximo ano. Além disso, 35% dos executivos afirmam estar dispostos a pagar mais por um espaço em um edifício verde certificado. E 37% disseram que construíram seu espaço de locação com padrões elevados de desempenho.

Leia mais: Você sabe quais são as fontes de energia existentes no mundo?

A redução dos custos ainda é o principal motivo para a mudança, mas as empresas já estão pensando cada vez mais na segurança energética, no cliente, nos funcionários e na redução de gases de efeito estufa. Além, claro, de melhorar também a reputação, política do governo e expectativas dos investidores.

“A eficiência energética é o centro de uma grande transformação dos nossos edifícios, sistemas de energia e infraestrutura urbana. O investimento em edifícios inteligentes, sustentáveis e resilientes é a chave para o aumento da eficiência urbana e entrega de seus muitos benefícios sociais, ambientais e econômicos”, explica Bill Jackson, presidente de Building Efficiency da Johnson Controls.

Barreiras para o investimento

A falta de financiamento, reembolso insuficiente, incerteza da poupança e falta de conhecimentos técnicos são as principais justificativas para a demora em investir em fontes renováveis de energia.

Os 1.248 executivos pesquisados tomam decisões e representam organizações comerciais, institucionais e industriais com carteiras de tamanhos variados em áreas urbanas, suburbanas e rurais. Segundo o relatório da Johnson Controls, os que operam carteiras maiores “são mais propensas a usar capital interno para investimentos e possuem duas vezes mais probabilidade de obter financiamento externo ou usar contratos de serviços de energia para fazer melhorias de eficiência energética”.

Redação do Portal WebArCondicionado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *