Governo investe em energia solar no Brasil

Você sabia que o Brasil é um dos países mais favoráveis para a aplicação de energia solar? Diariamente, a incidência de sol no nosso território tem a capacidade de gerar entre 4.500 e 6.300 kWh/m². Pensando nisso, o Ministério da Integração anunciou que o governo vai liberar R$ 3,2 bilhões em linhas de crédito para a instalação de placas de captação de energia solar em residências nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O investimento em Energia Solar compensa?

A iniciativa foi anunciada pela Sudam, Sudene e Sudeco, as agências regionais de financiamento. O pedido de financiamento deve ser encaminhado ao Banco da Amazônia (na região Norte), Banco do Nordeste e no Banco do Brasil (na região Centro-Oeste). Em comparação com o mercado, essas linhas de crédito têm prazos mais longos de pagamento e juros mais baixos – ao ano são 6,24% no Norte e Nordeste, e 7,33% no Centro-Oeste.

O Ministério da Integração Nacional pretende com isso incentivar a produção de energia doméstica, que diminui a demanda de outras fontes e ainda fortalece a matriz de energia sustentável. Além disso, a energia solar tem impacto na renda das famílias que adotam o sistema – a instalação leva no máximo 5 anos para se pagar, mas tem vida útil de até 25.

Leia também:  Empresário fatura R$300 mil ao ano vendendo e instalando placas de energia solar

Por que investir em energia solar agora?

De 2016 pra cá, a Energia Solar no Brasil cresceu mais de 400%, segundo pesquisas da Aneel. A Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) diz que o Brasil tem mais de 24 mil sistemas de microgeração distribuída, mais de 99% são placas fotovoltaicas, e 70% dessas estão em prédios comerciais ou residências de classe média e alta. A ideia do Governo é que o país passe a integrar o ranking dos 20 maiores produtores de energia solar do mundo em 2018.

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de Exame.