[ x ] Fechar

‘El Niño’ e aquecimento global com toda a força em 2016

  • 22 de setembro de 2015
  • Nenhum Comentário

O aquecimento global está mais vivo do que nunca, e o ‘El Niño’, que tem feito estragos no mundo todo nos últimos meses, terá papel importante nas mudanças climáticas ano que vem. Segundo um estudo divulgado recentemente pelo Met Office, serviço meteorológico britânico, a alta nas temperaturas está vindo com tudo e continuará ano que vem. Cabe lembrar que, neste 2015, maio, junho e julho bateram recordes de meses mais quentes em anos e anos de registros.

Leia também: 2014 registrou o mês de junho mais quente no mundo desde 1880

O relatório da agência confronta cientistas que garantiam haver uma ‘trégua’ no aquecimento global. Desde 1998, segundo o Grupo Intergovernamental de Especialistas sobre a Mudança Climática, a temperatura não subia tanto como se previa. Fato corroborado pela ONU, que em 2013 havia divulgado um estudo semelhante: o ritmo desde 1998 estava mais devagar se comparado com o aumento registrado em meados do século passado.

O ‘hiato’, segundo os britânicos, é coisa do passado. “É muito provável que 2014, 2015 e 2016 estejam entre os anos mais quentes já registrados no planeta”, afirmou Rowan Sutton, professor do Centro Nacional de Ciências Atmosféricas, coautor do relatório do Met Office. Registros de padrões de temperatura no Pacífico e no Atlântico, combinado com as máximas colhidas desde o ano passado, convenceram os britânicos. “Esses dados indicam o fim dessa ‘trégua’”, sublinha Adam Scaife, outro coautor.

Prepare-se para 2016
Como foi ressaltado no início do texto, o ‘El Niño’, fenômeno velho conhecido dos brasileiros, é peça-chave no aquecimento global, pelo menos no continente americano. O aquecimento anormal das águas do Pacífico equatorial mexe com padrões climáticos. A massa de ar quente e seco que predominou sobre o Sudeste brasileiro nos últimos dois meses é um exemplo. E deve continuar bagunçando o tempo, com dias cada vez mais quentes.

Leia também: Saiba quais são as cidades mais quentes e as mais frias do mundo

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de O Dia e G1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *