janela inteligentePensando em métodos que diminuíssem gastos com consumo de energia elétrica, cientistas sul-coreanos desenvolveram um vidro que muda de cor rapidamente. Trata-se de uma janela “inteligente”, que foi criada para ser usada em arranha céus, ajustando a temperatura dos ambientes internos. A ideia é ter um local fresco no verão e aquecido no inverno. A aplicação das janelas inteligentes reduz gastos com sistemas de HVAC, aumentando a eficiência energética do prédio.

Como funciona
Se a temperatura estiver alta, o vidro escurece impendido que raios solares entrem incisivamente pela janela. Mas se o clima estiver mais frio, o vidro fica transparente a fim de captar a luz solar aquecendo naturalmente recinto.

Prédio espelhado - imagem ilustrativaO diferencial desta invenção não é a alternância de cores no vidro, pois isto já existe, mas sim a velocidade e durabilidade com que esta troca é feita. Segundo os criadores, o vidro muda de cor quase que instantaneamente.

Além da rapidez, a janela inteligente dispensa o uso de placas de automação para controle, pois trabalha sozinha. Isto elimina processos e reduz ainda mais os custos na operação. As demais tecnologias disponíveis no mercado contêm químicas que obrigam o usuário a ajustar “inverno/verão” e ainda o resultado da troca é lento e perecível.

Tipo de material utilizado
No projeto, os pesquisadores usaram polímeros especiais, cátions, ânions e solventes como o metanol. O resultado foi um vidro que troca de cor em segundos com alguns benefícios extras: é menos tóxico do que as opções atuais e muito mais barato de se produzir.

Aplicação em larga escala exige análise 
Sim, o uso deste material aumenta a eficiência energética do prédio diminuindo custos com equipamentos de HVAC. Consequentemente, a emissão de CO2 também diminuiria  pela redução do trabalho das máquinas.

No entanto, caso as janelas inteligentes sejam aplicadas em larga escala ao redor do planeta, a situação pode mudar, exigindo uma análise técnica. Isto porque o vidro escuro impede que a temperatura incida no interior dos ambientes, mantendo o calor do lado de fora dos prédios. Assim, seria muito quente nas ruas em torno destes prédios. Além de escurecer os vidros, seria necessário também, tornar a superfície mais reflexiva, a fim de rebater os raios solares.

Fonte: BBC