[ x ] Fechar

Cavalo tem ar-condicionado para os neurônios

  • 02 de julho de 2015
  • Nenhum Comentário

Já pensou se após um longo esforço físico seu sangue esquentasse e você pudesse refrigerá-lo? Isso não é possível para os humanos, mas foi descoberto que os cavalos possuem essa capacidade.

Depois de horas a galope, o sangue de um cavalo esquenta consideravelmente. Na teoria, tanto calor poderia danificar as células do cérebro do animal. Mas uma nova pesquisa revelou que o equino evita o superaquecimento dos neurônios através de um curioso sistema de refrigeração feito de bolsas de ar. Para chegar a essa conclusão, cientistas dinamarqueses e canadenses implantaram pequenos termômetros nas artérias carótidas dos animais antes e depois da passagem delas pelas bolsas.

Leia também: Esterco de cavalo pode ser usado como fonte de energia na Finlândia

Cuca fresca É comprovado que depois de mais de uma hora de exercício o sangue na cabeça do animal pode atingir até 46 graus Celsius. Após o teste, os termômetros apontaram que, ao atravessar esses sacos de ar, o sangue esfria até 2 graus Celsius e pode alcançar o cérebro sem causar danos. Essas bolsas de ar são capazes de reter até 0,5 litro de ar fresco.

Além dos equinos E esse “ar-condicionado” não é um privilégio restrito aos cavalos. “Outros animais, como pequenos morcegos, usam o mesmo mecanismo para abaixar a temperatura do sangue”, afirmou o veterinário Jonathan Naylor, da Universidade de Saskatchewan, no Canadá, um dos autores do estudo.

Leia também: Climatização contribui para animais de competição

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de Superinteressante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *