Já chega a 48 o número de pessoas infectadas por pneumonia na Câmara dos Deputados. A primeira vice-presidente da Câmara, Rose de Freitas (PMDB-ES), já não consegue presidir as sessões da Casa sem grande sacrifício para sua saúde. Rose está doente há duas semanas.

A procura por cintilografia no serviço médico da Câmara dos Deputados aumentou drasticamente nas últimas semanas. Foram realizados cerca de 200 exames deste tipo. “Vou pedir uma inspeção no ar-condicionado da Câmara e no sistema de limpeza do carpete. Imagine se estivéssemos diante de uma doença contagiosa?” declarou a vice-presidente, alarmada com o ocorrido.

No Senado, Magno Malta (PR-ES)foi a vítima mais recente que está se tratando da pneumonia também. Médicos contra indicaram o ar condicionado da Casa para o senador Itamar Franco, que enfrentava uma forte gripe, diaginósticado depois de um exame de sangue com leucemia.

Nem a presidente Dilma Rousseff escapou da pneumonia, sendo diagnosticada com pneumonia dupla, e passou um mês com dificuldade. Os médicos recomendaram que ela evitasse o ar condicionado de seu gabinete no Planalto, o que levou a presidente a despachar durante duas semanas a partir da residência oficial, o Palácio da Alvorada.

Será o ar condicionado então o vilão desta história?

Talvez não o ar condicionado mas o que se encontra dentro das tubulações do sistema de refrigeração. Sérgio Motta ministro das Comunicações no governo Fernando Henrique Cardoso, morreu em 1998, por decorrencia de uma infecção pulmonar aliada às suas delicadas condições de saúde. Foi comprovado que Motta faleceu em por haver contraído uma das bactérias mais perigosas encontradas nas tubulações de aparelhos condicionadores de ar sem manutenção ou limpeza: a legionella pneumophila, que causa infecções agudas e pneumonia.

A solução?

Manutenção, limpeza nas tubulações dos condicionadores de ar são imprescindíveis. Talvez esteja na hora de Brasília investir na troca de seus sistemas de ar condicionado para que nossas autoridades voltem ao trabalho – com saúde.