A Cadeia do Frio, tanto no transporte de alimentos, como de medicamentos, vacinas, entre outros, não se resume apenas em deslocamento nacional. Pelo contrário, muitos transportes desses produtos atua em deslocamento internacional e é sobre isso que falaremos hoje.

Segurança e vida útil dos produtos no transporte frigorífico internacional

O transporte internacional de itens de temperatura controlada é um desafio e uma responsabilidade de todas as empresas que atuam nessa área.

Além de transportar os insumos de maneira segura e higiênica, deve ser respeitada a vida útil dos mesmos. No caso dos alimentos, a técnica de congelamento é válida para frutas, carnes e legumes.

Visto que algumas viagens podem demorar muitos dias e as vezes até semanas, as técnicas e equipamentos frigoríficos devem manter o frescor dos alimentos e deixá-los em perfeito estado para o consumo.

Leia também: Cadeia do Frio aplicada na alimentação

Como funcionam as necessidades básicas para o transporte frigorifico internacional?

Sabemos que cada produto tem sua peculiaridade e sua necessidade quanto a temperatura ideal que deve ser mantido. Qualquer tipo de transporte que for realizar esse deslocamento, seja caminhão, navios ou aviões devem ter a capacidade de manter a temperatura necessária para preservar a vida útil do item.

No momento que é informado a carga a ser transportada, já se tem os dados necessários para mantê-la da melhor forma. Por exemplo, se a carga é de tomates, pepinos, pimentos e berinjelas, esse caminhão deve manter uma temperatura determinada.

Em veículos mais desenvolvidos, a central da empresa monitora tudo, desde o sistema de gps, que permite localizar o caminhão em tempo real, além de controlar as horas de condução e a temperatura da carga a todo o momento durante a viagem. O motorista também possui meios de saber essa informação e também deve fazer algumas checagens ao longo da viagem. Até mesmo alertas podem ser disparados caso a temperatura chega em níveis de atenção pré-determinados anteriormente a viagem.

Dependendo da viagem, os locais de divisa de fronteira podem ser mais ou menos criteriosos. Além de pedir documentos necessários para o transporte dos itens, até mesmo uma checagem quanto a carregar imigrantes clandestinos infiltrados entre as cargas.

Leia mais: Conheça como funcionam as câmaras frigoríficas em caminhões

Regulamentações e controle do transporte frigorifico internacional

Os alimentos perecíveis necessitam de um controle de precisão referente as temperaturas. Esse tipo de transporte, tanto refrigerado ou não, é regulado pelo Acordo Sobre o Transporte Internacional de Produtos Alimentares Perecíveis (Agreement on the Transport of Perishable – ATP), que tem por objetivo garantir que os produtos cheguem a seu destino com a garantia de consumo adequado. Cada situação determinará se o transporte deve ser efetuado em veículos isotérmicos, refrigerados, frigoríficos ou caloríficos.

O ATP, que citamos acima, foi desenvolvido pela Comitê de Transporte do Comitê Econômico das Nações Unidas para a Europa. Ele é um conjunto de regras e normas que devem ser aplicadas no transporte internacional de alimentos perecíveis, por via rodoviária, ferroviária e marítima. Colocando em prática as exigências que garantem a segurança dos produtos, eles chegam à mesa dos consumidores para serem consumidor de forma saudável. O mesmo ocorre com as vacinas que requerem transportes refrigerados e precisam chegar em perfeitas condições para os consumidores.

Leia também: Cadeia do Frio de vacinas: o papel da refrigeração na imunização mundial

Comente abaixo o que achou das nossas informações. Queremos saber sua opinião!