* Atualizado em 15/02/2019

Você já parou para pensar quais os parâmetros que criam uma temperatura confortável para o seu corpo? Apesar de os sistemas de climatização garantirem bem-estar para os usuários, engana-se quem pensa que são apenas os equipamentos que influenciam no conforto térmico humano.

A questão é que pouco se fala sobre como essa sensação se dá no organismo, assim como os fatores envolvidos nesse processo. Pensando nisso, buscamos apresentar essas variáveis.

O que é conforto térmico?

O conforto térmico é a sensação de adequação térmica do corpo em relação ao ambiente onde ele está inserido em determinado momento. Ele está relacionado a uma série de fatores que podem ser divididos em dois grupos, como veremos adiante. Mas dentre as principais variáveis que costumam interferir na sensação estão a temperatura, a umidade do ar, a velocidade do vento ou de alguma corrente, a roupa que a pessoa está usando e o isolamento que ela proporciona, assim como o seu próprio metabolismo.

Na prática, conforto térmico significa que a pessoa não está se sentindo mal. Não está com frio e nem está com calor, está confortável, e por isso são tantos os detalhes que alteram essa sensação. Ele é importante porque qualquer mal-estar interfere na produtividade e na atenção das pessoas, seja no trabalho, na escola ou em casa. Como os fatores são variáveis, o que se calcula normalmente é uma “zona de conforto”, ou seja, uma faixa aceitável para que esses fatores variem e criem um ambiente agradável para quem convive nele.

Ar-condicionado e conforto térmico

Como dá pra suspeitar, o ar-condicionado está ligado diretamente ao conforto térmico. A temperatura ideal indicada pela Anvisa fica na faixa dos 22ºC aos 24ºC para qualquer estação. Além disso, os condicionadores de ar também produzem corrente de ar e podem ser acionados no modo ventilação. Há aparelhos que controlam a umidade do ambiente e aqueles que fazem tanto a refrigeração quanto o aquecimento dos cômodos. Através de um aparelho de ar-condicionado, você pode controlar quase todos os fatores que alteram a percepção do conforto térmico.

Qual temperatura é considerada confortável para o corpo humano?

O conforto térmico humano é obtido através de trocas térmicas que dependem de diversos fatores orientados por processos físicos como convecção, radiação, evaporação e condução. Considerando que a temperatura média do corpo humano varia entre 36,1°C e 37,2°C, o conforto térmico para pessoas vestidas encontra-se na marca de 23°C a 27°C – por isso a indicação da Anvisa fica um pouco abaixo desses números. Essa temperatura é alcançada e influenciada principalmente por fatores pessoais e ambientais:

Fatores do conforto térmico

Fatores pessoais

Se considerarmos o ponto de vista pessoal, define-se conforto térmico como sendo uma condição mental que expressa satisfação com o ambiente térmico. Desse modo, o conforto irá depender da produção de calor metabólico, que leva em consideração o ambiente externo e também itens como dieta, tamanho corporal, idade e nível de atividade destes.

Durante a digestão, por exemplo, há grande atividade corporal na área do estômago, o que aumenta a temperatura ali. Como é uma região do corpo que costuma ficar abafada e pressionada pela postura nos escritórios, pode causar grande desconforto térmico digerir em um ambiente muito abafado e quente, o que só piora se ele também for úmido.

Em termos de sensações corporais, o conforto térmico relaciona-se com as sensações de muito quente, quente, morno, neutro, fresco, frio e muito frio. O conforto também depende de ações comportamentais que são iniciadas inconsciente ou conscientemente e guiadas pelas sensações térmicas e de umidade para reduzir o desconforto. Algumas das possíveis ações para reduzir o desconforto são: alteração da vestimenta, alternação de atividades, mudanças de posturas ou localização, mudanças nos parâmetros operacionais de dispositivos de controle ambientais, aberturas e fechamento de passagens de ar, reclamação ou abandono do local.

Fatores ambientais

Do ponto de vista físico, o ambiente é confortável quando as condições permitem a manutenção da temperatura interna sem a necessidade de serem acionados mecanismos termorreguladores, ou seja, é necessário que o organismo humano se encontre em balanço térmico com o meio ambiente.  Porém, num país quente como Brasil, nem sempre o ideal é a realidade do dia a dia do trabalhador.

Fatores ambientais como velocidade do vento, temperatura do ar, umidade relativa e temperatura média radiante influenciam diretamente na sensação corporal, além, é claro, do tipo de roupa que o usuário estiver vestindo. É preciso considerar aqui a incidência do sol, proximidade de correntes de ar e demais disposições do ambiente que podem interferir na sensação térmica do corpo.

Portanto, o efeito desses fatores é que irá definir o grau de conforto ou desconforto térmico sentido pelas pessoas. Considerando que vários são os elementos que influenciam nesse processo, como listados acima, a sensação do corpo irá depender totalmente de critérios pessoais e também das próprias características do ambiente externo.

Leia Também: A relação entre conforto térmico e o tipo de equipamento na instalação

Redação do Portal WebArCondicionado