Pegando de surpresa os funcionários de sua sede em Indianápolis, nos Estados Unidos, a Carrier anunciou que está mudando o local de trabalho para Monterrey, no México. Em meio a suspiros de raiva e até mesmo gritos de incredulidade, os empregados da fabricante de ar-condicionado ficaram sabendo da decisão no início do mês através de um pronunciamento da Carrier, como mostrado no vídeo que já tem mais de 3 milhões de visualizações. (Assista abaixo!)

De acordo com a empresa, cerca de 1.400 pessoas trabalham na fábrica e a estimativa é de que não haverá impacto imediato sobre o emprego, já que o processo de mudança deverá acontecer ao longo de um período de 3 anos, começando em 2017 e com conclusão prevista para 2019.

Veja como foi o pronunciamento:

Motivação
Segundo Chris Nelson, presidente de Sistemas e Serviços HVAC na América do Norte, a decisão busca enfrentar os desafios da indústria HVAC com a migração contínua do setor para o México, incluindo fornecedores e concorrentes. Ele vê o processo como algo positivo.

“A realocação permitirá uma nova infraestrutura e uma base forte de fornecedores que nos permitirá operar de forma mais rentável. Assim poderemos seguir com produtos HVAC de alta qualidade que estão posicionados competitivamente, continuando a atender as necessidades dos nossos clientes”, afirma o executivo da Carrier, reconhecendo logo depois o impacto na vida dos trabalhadores e suas famílias.

Repercussão
O prefeito de Indianápolis, Joe Hogsett, considera o anúncio surpresa da empresa “inesperado e ao mesmo tempo decepcionante”, nas palavras dele. Após saber da atitude da Carrier, emitiu uma ordem executiva para convocar os recursos federais que possam ajudar os trabalhadores que perderão seus empregos.

Além disso, segundo o Daily Journal, um líder sindical afirma que irá tentar colocar pressão sobre a empresa para reverter sua decisão de encerrar a fábrica na cidade norte-americana. A porta-voz da Carrier, Michelle Caldwell, diz que a empresa irá discutir o movimento com os dirigentes sindicais e continuar oferecendo benefícios educacionais para os funcionários.

Apesar disso, Chuck Jones, líder dos trabalhadores que se opõe à mudança, garante que o sindicato vai pedir às empresas para parar de comprar produtos da Carrier se a empresa prosseguir com a ideia. Resta aguardar como ficará a situação!

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de The Indy Channel, timesfreepass.com e Daily Journal.