[ x ] Fechar

Calor gerado no metrô irá aquecer residências em Londres

  • 08 de janeiro de 2014
  • Nenhum Comentário

Metrô de LondresA economia de energia com climatização não é uma preocupação apenas dos países quentes. No frio, este tema também é recorrente, porém, ao invés do ar-condicionado, o assunto é a calefação. Em Londres, um projeto pioneiro e ecológico vai captar o calor gerado pelo metrô e seu usuários e distribuir para a calefação residencial da cidade durante o inverno.

A iniciativa partiu do prefeito da capital inglesa, Boris Johnson, em parceria com a distribuidora de energia (UK Power Networks), a administração do sistema de transportes (Transport of London) e o Conselho de Islington, importante instituição britânica. O inverno europeu é rigoroso e a cada ano a população depende diretamente de sistemas de calefação para se manter aquecida. Aliado a isso, a rede de trens inglesa possui 408 km de extensão, o que equivale à distância entre São Paulo e Rio de Janeiro. Hoje, o calor oriundo do subsolo não é aproveitado.

Como vai funcionar
Mapa das linhas do metrô de LondresO calor gerado pelas pessoas, trilhos e máquinas do sistema ferroviário será capturado e armazenado em um grande poço de ventilação localizado no subsolo. Esta espécie de chaminé gigante já está preparada para atender uma malha de dutos que estão ligados à 700 residências. Ainda serão criados novos pontos de coleta de “calor verde”, que incluirão mais 500 famílias londrinas atendidas pelo sistema.

Objetivos e expectativas
O projeto faz parte do plano de responsabilidade ambiental de Londres, que estima a redução de 60% no total das emissões de carbono. A medida ainda visa reter a atividade das usinas de carvão, diminuindo os impactos ambientais e reduzindo, também, o valor da conta de luz dos britânicos.

O Conselheiro Rakhia Ismail, membro executivo do Conselho de Islington para a sustentabilidade, afirmou: “A reciclagem do calor do metrô de Londres e da rede elétrica é uma ideia emocionante e um impulso em nosso desafio de enfrentar a escassez de combustíveis para fazer de Islington um lugar mais justo. Este esquema de energia não é apenas mais barato, mas também mais sustentável: as comunidades locais verão como as emissões de CO2 serão reduzidas em cerca de 500 toneladas por ano”.Metrô de Londres

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de London Gov.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *