[ x ] Fechar

Venezuela substituirá mais de 300 mil aparelhos de ar condicionado

  • 30 de junho de 2014
  • Nenhum Comentário

Distribuição dos aparelhos de ar condicionadoA Venezuela está lançando um projeto para substituir mais de 300 mil ares condicionados usados por aparelhos novos em alguns estados do país. O acordo entre o Presidente Nicolas Maduro, o Ministro de Energia, Jesse Chacon, e a Corpoelec (indústria de eletricidade), em conjunto com o Ministério da Juventude, irá realizar um plano para substituir os aparelhos nos locais que vem registrando o maior consumo de energia elétrica. O comunicado foi feito nesta semana pelo diretor-executivo da Indústria Corpoelec, Efren Martin.

Como funcionará
Jovens do país receberão formação profissional e depois de treinados farão vistorias nas casas, avaliando se o ar condicionado do local tem condições ou não de continuar sendo utilizado, visto que aparelhos ineficientes consomem muita energia. Estes profissionais avaliarão o produto e se registrarem que esse precisa ser aposentado, o ar será trocado por outro. Os aparelhos serão da marca Haier de 12.000 ou 18.000 BTUs. O cidadão terá que trazer o seu ar para um local instruído e receber a substituição por um modelo correspondente. Com essa medida, é esperada a redução no consumo de 397 megawatts de eletricidade.

O que diz o diretor da indústria de energia venezuelana
De acordo com Martin, o governo tem feito vários acordos comerciais com fabricantes de transformadores, cabos e condutores. “Devemos assinar uma parceria com fabricantes de torres de transmissão, fabricantes de luminárias para iluminação pública, filtros para máquinas de geração. Vamos apoiá-los no processo de importação de matéria-prima e em troca eles vão produzir componentes elétricos nacionais”.

Estudos sobre a possibilidade da fabricação de isoladores no país também estão sendo feitos. “Estamos avaliando a possibilidade de reabrir antigas fábricas como uma localizada no estado de Zulia, que fabricava isoladores. Aproveitamos esta oportunidade para chamar empresas privadas no Ocidente para investir seus elementos de produção relacionados aos nossos projetos de energia elétrica nacional” concluiu Martin.

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de panorama.com.ve

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *