Embora o tradicional passeio no trenzinho do Corcovado, no Rio, conte com novidades como capacidade e velocidade maiores em sua próxima geração, o esperado ar-condicionado ficou de fora da mudança. A queixa de muitos usuários que usam o serviço é o forte calor, mas ainda não será desta vez que as cabines de passageiros contarão com os aparelhos.

“Fizemos uma pesquisa entre os usuários. A maioria disse que não quer perder o contato mais próximo com a Floresta da Tijuca, o que não seria possível com cabines fechadas e refrigeradas. Mas teremos ventiladores e exaustores nas composições. Apenas as cabines dos condutores serão refrigeradas”, disse o diretor da empresa Trem do Corcovado, Sávio Neves.

Essa é a quarta geração de composições que entrará em operação, servindo os turistas há mais de um século. Assim como o modelo usado atualmente, em operação desde 1979, os novos funcionarão também com seis vagões. Enquanto os trens atuais têm capacidade para transportar até 300 passageiros por hora, cobrindo a distância entre o Cosme Velho e o Corcovado em 20 minutos, os futuros poderão absorver até 612 passageiros por hora, completando o percurso em apenas 14 minutos.

Além disso, os trens novos terão portas mais largas, para acesso de cadeiras de rodas, e um vagão especial para transporte de bicicletas, patinetes e skates.

Ampliação na oferta de serviços turísticos
A empresa Trem do Corcovado, que explora o serviço, assinou o contrato com a empresa suíça Stadler Rail Group para a fabricação dos novos modelos. A renovação da frota faz parte de uma estratégia para incrementar o turismo no Corcovado, que inclui outras medidas como a reabertura do Hotel Paineiras, em 2016, e a reforma de sua estação, que só deve começar após as Olimpíadas. Os investimentos estão previstos desde o fim de 2014 pelo novo contrato de concessão da linha (referente aos próximos 20 anos), firmado entre a empresa, que anteriormente já explorava o serviço, e o Ministério do Meio Ambiente.

A substituição das composições será gradual. Os quatro primeiros trens chegam ao Rio no fim de 2017 e iniciam a operação no primeiro semestre de 2018. Os outros dois entrarão nos trilhos antes do fim do ano. O investimento nas novas composições é de R$ 99 milhões. Deste total, 15% virão de recursos da empresa, e 85% serão financiados em 14 anos por instituições suíças.

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de Diário da Manhã.