[ x ] Fechar

O impacto do ar-condicionado na sociedade

  • 03 de outubro de 2014
  • Nenhum Comentário

Quando o ar-condicionado foi inventado em 1902 por Willis Carrier, a maioria das pessoas achou a invenção um tanto maluca para a época. Como poderia aquele aparelho (na época gigante) ser capaz de alterar a temperatura de um ambiente, contribuir contra o calor, e anos depois contra o frio? Ao longo desse tempo a tecnologia avançou consideravelmente, tanto que nos dias atuais o aparelho vem se tornando cada vez mais um item indispensável não só nas residências, mas em locais públicos, privados, empresas, shoppings, cinema; enfim, em todos os lugares.

O próprio computador onde você lê este texto agora só está aí por conta de uma climatização adequada de data centers para armazenar os dados, por exemplo. A verdade é que o advento e uso do ar-condicionado causou um impacto considerável na sociedade, produzindo resultados visíveis constantemente no ambiente em que vivemos.

Ideia inicial
O aparelho foi projetado inicialmente apenas para melhorar o controle do processo de produção na gráfica onde Carrier trabalhava, controlando não apenas a temperatura, mas também a umidade. Mas com o passar do tempo o ar-condicionado veio a ser usado também para o conforto interior em residências e em automóveis, e na década de 1950 sua utilização expandiu-se de forma dramática.

Influência na arquitetura
Outro impacto considerável trazido pelo aparelho foi no ramo da arquitetura, que ganhou uma nova forma. Na década de 1950, os edifícios que estavam sendo construídos não tinham janelas em todos os ambientes para favorecer a climatização e circulação de ar. Dessa maneira, o aparelho foi responsável por tornar o ar agradável e dar uma nova cara para a arquitetura dos prédios, permitindo a viabilidade do projeto de edifícios com plantas em profundidade. Caso contrário, as construções teriam que ser mais estreitas ou com poços de respiração de modo a permitirem que seus espaços interiores recebessem ar suficiente do exterior através de ventilação natural. Além disso, o ar-condicionado também permite que os edifícios sejam mais altos, uma vez que a velocidade do vento aumenta significativamente com a altitude, tornando a ventilação natural impraticável em edifícios muito altos.

Consumo de energia
Apesar de os primeiros modelos consumirem uma grande quantidade de energia elétrica, as marcas atuais têm trazido novos modelos para o mercado com um foco econômico, no intuito de gastar cada vez menos energia. O Selo Procel é um exemplo disso, pois determina o nível de eficiência energética do ar-condicionado. É importante lembrar que todos os modelos devem receber este selo para entrarem no mercado, no entanto os que apresentam o nível de eficiência “A” são os que menos consomem energia.

Estatísticas
Além disso, números podem mostrar o quanto o ar-condicionado tem sido utilizado mundialmente. Os Estados Unidos é hoje o país que mais utiliza ar condicionado no mundo: em torno de 87% das suas residências possuem pelo menos um aparelho, consumindo com o equipamento em torno de 185 milhões de megawatts/hora de energia anualmente.

E para aumentar, uma pesquisa realizada pelo professor Michael Sivak, da Universidade de Michigan, diz que o Brasil é um dos oito países que têm potencial para ultrapassar estes números até 2100, consumindo uma vez e meia o que os americanos gastam de energia por ano com o ar-condicionado. Ou seja, a tendência é que cada vez mais os ares-condicionados sejam adquiridos.

Ainda utilizando números, de acordo com a empresa de pesquisa norteamericana The Freedonia Group Inc., o setor deve crescer cerca de 5,7% ao ano, fazendo com que o mercado movimente US$ 120 bilhões (em torno de R$ 265 bilhões) em 2018.

Impacto e aplicação
Informações como essas o quanto a utilização do ar-condicionado impactou toda a esfera global em vários âmbitos, do econômico ao social. Vale lembrar também que a aplicação do ar-condicionado é diretamente determinante no funcionamento de diversos processos, como viveiros para a criação superficial de animais, fábricas têxteis, estufas, instalações nucleares, laboratórios químicos e biológicos, minas, entre outros exemplos. Portanto, muitas das mudanças que surgiram em nossa sociedade desde a Segunda Guerra Mundial não teriam sido possíveis se o ar-condicionado não mantivesse os lares e locais de trabalho climatizados. A influência deste aparelho é vista até hoje em nosso cotidiano, principalmente no momento em que se faz necessário mudar a temperatura do ambiente em que estamos.

Redação do Portal WebArCondicionado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *