[ x ] Fechar

Neve marcou o mês de julho no sul do Brasil

  • 19 de julho de 2013
  • Nenhum Comentário

O frio finalmente mostrou sua cara no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Os estados brasileiros tiveram temperaturas negativas no final e no início desta semana. Em Porto Alegre as mínimas chegaram nos 3ºC e na serra os ponteiros registraram números ainda mais baixos.

Neve em GramadoEstava sendo um inverno atípico para os gaúchos com direito a manga curta e sorvete nos finais de semana. Houveram dias que foi registrado 30ºC às 14h. Porém, a massa de ar polar chegou no sul trazendo nevoeiro e chuva. As cidades de Vacaria, Cambará do Sul e São José dos Ausentes foram as mais geladas dentre os municípios. Bagé, na região central teve chuva congelada na madrugada de domingo para segunda. Além disso, a neve foi registrada em várias cidades da Serra.

Em 2012 não houve registro de frio tão intenso no Estado. Diferente deste ano, que chegou a nevar em várias cidades gaúchas, além de também nevar em Santa Catarina e Paraná. Para o fenômeno acontecer, é necessário que tenha uma combinação de fatores. Além das temperaturas mínimas, passando os 0ºC, a umidade do ar tem que estar muito baixa com a presença de chuva na região. E foi o que aconteceu! Para o restante da semana, a possibilidade dos gaúchos verem neve cai bastante. Mas as cidades seguirão muito frias e com a presença da geada matinal. A serração é bastante comum por todo o Rio Grande do Sul, já que, para que ela aconteça, é necessário que o tempo fique aberto e ensolarado. No próximo final de semana o sol predominará no Estado deixando os dias um pouco mais quentes.

No ano passado, as cidades gaúchas de São José dos Ausentes, Bom Jesus e São Francisco de Paula nevaram em plena primavera, no dia 26 de setembro. Os outros anos que isso aconteceu fora do inverno foram em 2008, 2006 (duas vezes), 2005, 2003, 2001 e 2000.

Dia 22/07, terça-feira, foi o dia mais frio dos últimos 5 anos no Rio Grande do Sul. Porto Alegre teve máximas de apenas 9ºC no período da tarde. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), pelo menos 12 municípios do estado que possuem estações convencionais de medição tiveram temperaturas negativas neste dia. A mínima foi registrada em Cambará do Sul, na Serra: – 4,2ºC. Em Sinimbu, no Vale do Rio Pardo, foi registrada a primeira morte por hipotermia . A vítima foi um homem, morador de rua de 50 anos.

Geada Negra
geada negraAlém da serração e da neve, outro fenômeno que aconteceu neste mês foi a geada negra, o que preocupa e muito os agricultores. Isso por que ela afeta diretamente os campos de citricultura e prejudica o crescimento das flores e frutas. A geada negra possui esse nome, pois ela congela o interior da planta deixando-a escura, já que a seiva congelada não faz a circulação devida no caule. Tal ação faz os agricultores entrarem em pânico, já que, uma vez que cai a geada negra, não se consegue recuperar os frutos que ficaram no campo e congelaram. O agrônomo e Diretor Técnico da Emater, Gervasio Paulus explicou que por mais que essa época não tenha tantas plantações ocorrendo por causa da dormência das plantas, as bergamotas e laranjas são os produtos mais afetados já que se desenvolvem no inverno. “A geada negra ocorre quando existe pouca umidade no ar e não há formação do orvalho. No entanto, o frio é tão intenso que a seiva da planta congela. O resultado não é imediato, aparece duas semanas depois. É bastante raro, mas pode ocorrer”, explica Paulus.

Texto criado exclusivamente pelo setor de jornalismo do portal
WebArCondicionado. Com informações de Rádio Gaúcha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *