A NBR 16401, “Instalações de ar-condicionado – Sistemas centrais e unitários”, está em processo de revisão da parte três, onde se estabelecem os parâmetros para a qualidade do ar interior, sobre a filtragem do ar.

A ABNT quer instituir uma “metodologia para a seleção dos filtros de ar, de forma que seja possível a predição da concentração de partículas em suspensão (PM 2,5) no ar dos ambientes climatizados ou com ventilação mecânica e filtração”.

Leia mais: Qualidade do ar não é o mesmo que conforto térmico

O que dizem os envolvidos

“Esta revisão leva em consideração a concentração de material particulado (PM) em suspensão no ar por faixa de tamanho. A faixa mais importante que pode provocar problemas de saúde nas pessoas é o PM 2,5, expresso em µg/m³, que é a massa do material particulado em suspensão no ar de todas as partículas menores do que 2,5 µm. Toda a literatura médica, normas e literatura que tratam de contaminação ambiental utilizam esta técnica, por isso foi importante a sua utilização nesta parte da norma”, explicou ao Portal Engenharia e Arquitetura, Wili Coloza Hoffmann, um dos envolvidos na revisão.

A revisão da norma NBR 16401, segundo José Augusto S. Senatore, gerente técnico para a América Latina da AAF Flanders, “irá impactar a forma de projetar sistemas de filtragem. Isso porque ela está sendo trabalhada simultaneamente à publicação de uma nova norma internacional de filtros”. Ainda de acordo com Senatore, está previsto na nova norma NBR 16401 a adoção dessa nova norma de filtragem do ar, que contemplará um novo conceito de filtragem do ar relativo aos ambientes de uso coletivo.

Redação do Portal WebArCondicionado, com informações do Portal Engenharia e Arquitetura.