Microsoft joga data-centers no fundo do mar para economizar com ar-condicionadoOs pesquisadores da Microsoft descobriram uma forma de economizar energia no resfriamento de seus data-centers, além de aumentar sua produtividade. Nada de salas climatizadas e nem centrais de ar condicionado, o conceito da iniciativa, que foi intitulada de Project Natick, é basicamente jogar os data-centers no fundo do mar.

O objetivo da empresa é instalar, operar e manter uma central autônoma de processamento de dados no fundo do oceano, centenas de metros abaixo da água e em várias estações por todo o planeta. Uma ideia que poderia resolver o problema das indústrias e do setor de tecnologia.

Serão desenvolvidos meios de usar a energia elétrica gerada pela força das ondas do mar, com a instalação de turbinas subaquáticas, que vão aproveitar o balanço das correntes do oceano. E os data-centers irão capturar essa energia.

O primeiro teste
O primeiro teste realizado foi com o data-center do serviço de nuvem Azure. Ele foi mantido a dez metros abaixo d´água na costa da Califórnia por 108 dias. E o primeiro módulo a descer ao fundo do mar, foi intitulado de Leona Philpot.

Ocorreu tudo como era esperado, sem qualquer tipo de problema, de forma segura e viável. O sistema foi equipado com diversos sensores de temperatura, pressão, umidade e trepidação.

Redação do Portal WebArCondicionado.