[ x ] Fechar

Horário de verão termina com redução de consumo de energia abaixo do esperado

  • 18 de fevereiro de 2013
  • Nenhum Comentário

Horário de verãoEncerrou durante a madrugada de sábado para domingo (17) mais um horário de verão, responsável pela redução de 4,5% na demanda de energia no período de pico. Conforme havíamos publicados em outubro do ano passado, a expectativa do governo era que a redução fosse de 5%. Mas, de acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o valor total foi de 2.477 MW economizados, inferior à redução de demanda em relação ao horário de verão do ano anterior, que foi de 2.555 MW (4,6%).

Em nota, o ONS informou que a redução de energia durante o período foi de 250 MW médios, incorporados aos ganhos de armazenamento no período e valorizados por um custo de geração térmica. Este valor representa uma economia pela população de aproximadamente R$ 200 milhões.

Acionamento das usinas térmicas

Baixo nível de água nas HidrelétricasEste resultado se deve ao fato das usinas termelétricas terem sido acionadas desde o mês de outubro. Graças à falta de chuvas, os níveis nos reservatórios das principais hidroelétricas despencaram. Somente durante o mês de janeiro o nível esteve semelhante ao período de pré-racionamento, adotado em 2001. Isso fez com que as usinas termais fossem ligadas, poupando água das represas e ajudando-as a voltar a níveis adequados.

TermelétricaSe as usinas tivessem sido desligadas, R$ 200 milhões teriam sido economizados, valor superior ao período entre 2011 e 2012, de R$ 160 milhões, quando o uso das térmicas era menor. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) fará uma avaliação em abril para ver se será possível desligá-las. Apesar da preocupação quanto a um desabastecimento de energia, o governo nega que isto ocorra.

Por que horário de verão?

Objetivando o aproveitamento da iluminação solar, o horário de verão é feito para diminuir o uso da iluminação artificial durante o horário de pico. Neste período, a ponta do sistema elétrico acaba muito carregada entre as 18 horas até às 21 horas, momento em que a iluminação pública é ligada e as pessoas retornam para casa e mais consomem energia elétrica.

Com esta medida, a segurança do sistema elétrico brasileiro é a mais beneficiada, já que a rede de transmissão não fica sobrecarregada. Além disso, a mudança de horário possibilita uma melhor manutenção de equipamentos e a redução de cortes de carga em situações emergenciais e acaba favorecendo a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.

Economizando energia

Economizando energiaSabemos que o ar-condicionado é um dos vilões da conta de luz. Mas outros aparelhos eletrônicos, como o chuveiro elétrico e a geladeira também estão entre os produtos que mais consomem energia. Por isso, o aconselhado é dar preferência a equipamentos que possuam o selo Procel.

Fora isso, a dica é usar estes aparelhos eletrônicos de forma adequada e consciente. No chuveiro, por exemplo, ative o modo verão, em que o consumo de energia cai à 30%, além de encurtar o período de banho. Manter a porta da geladeira fechada e verificar a borracha de isolamento também ajuda.

Climatização consciente

Já para economizar no uso do ar-condicionado, o ideal é manter os filtros limpos, aproveitar recursos de programação, como o timer e evitar a entrada de calor no ambiente, fechando cortinas e persianas. Outra dica é desligar o aparelho enquanto não estiver sendo utilizado.

Utilizando a nossa calculadora de consumo, mostramos como é importante estar atento ao tempo que o ar-condicionado fica funcionando. Ao manter ligado durante 8 horas, por exemplo, um aparelho Split Hi-Wall de 12.000 BTU?s com selo A, a despesa no fim do mês é de aproximadamente R$ 60. Já o valor de consumo de um mesmo modelo, mas com selo E, pode chegar até R$ 170.

Quer saber como aproveitar melhor seu aparelho? Aqui você pode conferir algumas dicas de como economizar energia.

Texto criado exclusivamente pelo setor de jornalismo do Portal WebArCondicionado. Com informações de RBS Notícias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *